Comida Cigana

Para os Ciganos cozinhar é um ato maravilhoso, e é através da comida que podem encantar uma pessoa com mais facilidade. E depositar todos os objetivos nos ingredientes. Também cuida muito as fazes da lua, pois é muito importante.

 

Na Lua Nova: é uma boa energia para terminar trabalhos inacabados ou começar projetos que queremos que deem resultados imediatos.

 

 

Na Lua Crescente: Os Ciganos cozinham para aqueles que devem tomar conhecimento de seus projetos, trabalhos e também para o casamento, noivados. E é nesta lua que são colhidas as ervas e especiarias, caso seja cultivadas em horta doméstica.

Na Lua Cheia: Os Ciganos reúnem as pessoas mais queridas para servi-lhes os alimentos encantados esperando os melhores comentários. Também é a lua melhor para lançar um produto e também iniciar um projeto que desejamos que se torne público.

Na Lua Minguante: Dedicam a cozinha para a cura. Fazem os remédios caseiros utilizando as ervas, raízes, sementes, frutas e flores. Na cozinha cigana estão inclusos. As carnes de porco, frango e boi que são as mais utilizadas.

Utilizam também muito as especiarias e temperos de diversas partes do mundo.

Frutas, nozes e amêndoas estão sempre presentes em diversos doces. Também são utilizados o ovo, manteiga, queijo e frios.
As massas são de fabricação caseira e os pães são feitos ritualisticamente para ser oferecidos como alimento do corpo e do espírito.

Malandro da Calunga


MALANDRO

São raríssimos os médiuns que trabalham com esse malandro. Eles costumam ser sérios durante seus trabalhos e gosta muito de trabalhar para ajudar os humildes e necessitados, fazendo justiça e não gosta de pessoas ambiciosas e arrogantes.

Em vida foi muito amigo das pessoas da alta sociedade, mas só se sentia feliz quando estava nos bares bebendo, onde conquistava todos os tipos de mulheres, mas não se apaixonava por nenhuma. Foi um homem de classe média e todos gostavam muito dele. Infelizmente se perdeu na bebida e nos vícios.

Se apresenta muito elegante, porém é de uma simplicidade muito grande. Morreu muito jovem, mas quando vem para trabalhar é de uma sabedoria muito grande e uma postura de quem viveu muitos anos.melhores franquias brasileiras

EXU BARRA

Exus Guardiões, os exus do mar, como por exemplo os senhores: Exu da Barra, Exu do Mar, Exu Pirata, Exu Marinheiro, Exu Capitão dos Mares, Exu Maré, Exu das Ondas entre tantos outros.
 

Os Exús desta linha trabalham numa área onde há poucos exús, pois trabalham debaixo do fundo do mar, nas cavernas submarinas, no fundo do mar onde nem a luz do sol alcança, em canais e braços de mar, e na barra também. A barra por exemplo é uma barreira natural do mar, onde formam-se as ondas. É lá que reside o Grande Exu da Barra, um tenente da falange de Tranca-Ruas, estes exús vibram na corrente masculina, mas tem muita ligação com Iemanjá e são seus enviados, é incorreto confundirmos estes Exus com Marinheiros, apesar de se apresentarem as vezes juntos, pois o campo de trabalho é outro, estes exus tem como objetivo principal o equilíbrio marinho dos mares e oceanos.

 

Estes exus são de grande valia para nós, apesarem de nãos serem tão conhecidos, mas são fundamentais para a vida humana.

 

Dentro desta linha alguns exus da falange do Senhor Exu do Lodo também se apresentam. Mas o que sabemos irmãos é que o mar esconde muitos mistérios e naquela vastidão imensa Exu também tem seus comandados ao lado da grande Mãe Iemanjá. Prova da existência destes exus são os tritões que fazem parte da mitologia de várias culturas.

POMBA GIRA SETE ONDAS

TEXTO DE CLAUDIA BAIBICH

“EXPLICANDO A POMBA GIRA SETE ONDAS”

A definição de onda é tida como qualquer perturbação (pulso) que se propaga em um meio. Ex: uma pedra jogada em uma piscina (a fonte), provocará ondas na água, pois houve uma perturbação. Essa onda se propagará para todos os lados, quando vemos as perturbações partindo do local da queda da pedra, até ir na borda. Uma sequência de pulsos formam as ondas.

Chamamos de Fonte qualquer objeto que possa criar ondas.
 
A onda faz a transferência de energia cinética da fonte, para o meio.
 
Através delas, energia pode ser transmitida por longas distâncias e a grande velocidade. A energia da luz solar é um exemplo disso.
 

Assim, compreende-se melhor, o trabalho de Dona Sete Ondas: Ela é a Onda que faz a transferência energética da Fonte (Orixá) para o meio (consulente, médium ou ambiente) tendo como principal função, trazer a renovação.

Após os trabalhos de outras Guardiãs, como: desobsessões, encaminhamentos, quebras de demandas e abertura de caminhos, entra em ação Dona Sete Ondas”.
 

Um consulente, só chega até uma Pomba Gira Sete Ondas, quando demais aspectos de sua vida já foram trabalhados e ele encontra-se “pronto” para ser agraciado com “o novo”.

Todas as falangeiras “SETE ONDAS”, apresentaram-se de forma altiva e alegre, como uma amiga que prenuncia “Boas Novas”. Sua incorporação não é tão comum em comparação com as de Maria Mulambo, por exemplo. Mas é belíssimo ver a chegada de uma Sete Ondas, com sua dança que lembra o movimento ondulante do mar. Esse movimento já é uma reciclagem energética realizada no médium que a incorpora, e a distribuição de seu Axé.
 

Outra peculiaridade de seu trabalho, é a sua manifestação em alguns médiuns quando o trabalho encaminha-se para o encerramento.

A Senhora Guardiã Sete Ondas, tem um papel importantíssimo na reciclagem energética e deveria ser chamada mais vezes nas densas Giras de Guardiões.
Incorporar uma Sete Ondas é sentir um misto de energia revigorante e leveza. Sentimo-nos como se estivéssemos sendo levados por um mar de alegria e serenidade.

Mas a sua função na vida dos consulentes é fazer com que o mesmos aceitem deixar para trás velhos condicionamentos e padrões de comportamentos desgastados que os impedem de evoluir.
Sempre dizemos que Pombas Giras nos ajudam na medida de nosso merecimento e no devido tempo, quando já estamos preparados para receber e usufruir conscientemente essa “ajuda”, e isto torna-se uma regra irrevogável com a Sete Ondas.
 
Em muitos casos, o Trabalho da Pomba Gira Sete Ondas, realiza-se sem o contato direto com o consulente numa consulta, através da incorporação em um médium, embora isso também ocorra.
 

As Sete Ondas trazem reciclagem energética, renovação das esperanças, desejo de mudanças e estímulo para vencer.
Constituem uma Falange específica, trabalham nas Sete Linhas, podem receber oferendas em todos os sítios da natureza e suas falangeiras são realmente encantadoras.

LAROIÊ SENHORA SETE ONDAS!

Os Itans

O Candomblé. Cultura digna. Digna de um povo. Digna de uma fé. Cultura que traz a história de cada um através dos Ifás, através dos Caoris, através da metodologia adivinhatória variada, mas que com certeza buscam os caminhos, os horizontes e buscam principalmente enaltecer, enriquecer a vida de cada um, porque com o candomblé, foi inventado os itans, as histórias de cada orixá, histórias variadas, mas que na realidade são sinônimos de problemas que anos e anos vem acontecendo na vida de cada um, vem acontecendo na vida de cada ser humano, histórias que apesar de pertencer a Orixás, pertencem também aos caminhos de cada um de nós, com seus exemplos, ensinamentos e principalmente trazendo soluções para que sejam solucionados os problemas individuais ou até mesmo coletivos de cada pessoa, de cada grupo que procuram fazer parte da formação da estrutura básica de uma religião chamada Candomblé.

 

 

Conta-se que todo esse saber foi dado a um adivinho de nome Orumilá, também chamado Ifá, que o transmitiu aos seus seguidores, aos sacerdotes do oráculo de Ifá que são chamados Babalaôs ou os pais de santo do segredo. Durante a iniciação que é submetido para exercício da atividade oracular, o Babalaô aprende essas histórias primordiais que relatam fatos do passado que se repetem a cada dia dos homens e mulheres.
Para Os Iorubás antigos, nada é novidade. Tudo o que acontece hoje, já teria acontecido antes. Identificar no passado mítico o acontecimento que ocorre no presente é a chave da decifração oracular. Os mitos dessa tradição oral estão organizados em vários capítulos, vários itans organizados na mente de cada sacerdote, cada um subdivididos em partes, tudo paciente e meticulosamente decorado na memória do zelador, é que vem a experiência, é que vem a resposta.
Acredita-se, que nos caminhos dos itans, o zelador, o Babalaô, o conselheiro que seja, busca um exemplo do passado nas estórias do passado, estórias que com certeza remetem ao presente e sucessivamente ao futuro:
 
Se Obá cortou uma orelha por amor a Xangô, uma mulher corta os pulsos por amor a um homem.
 
Se Ogum decepou cabeças pelo silêncio e pela falta de respostas, muitos massacres podem acontecer muitas vezes por povos, por líderes de estado defendendo um ideal, um objetivo, defendendo principalmente uma posição.
 
Se Xangô, segundo os itans, abriu um buraco na terra e entrou por ele adentro, reis, rainhas, presidentes, renunciam, suicidam-se, são com certeza banido às vezes do seu poder.
 
Se Oyá experimentou através da curiosidade a força do fogo, quantas pessoas também pela força da curiosidade acabam morrendo queimadas e assim os itans revelam o cansaço das estórias de oxalá, revelam também os truques, a malícia, a irreverência nos itans de Exú, nos itans de Bara e que com certeza formam os itans da nossa cultura, as estórias que montam o caminho, que montam o convívio de cada sacerdote, que montam a verdade de cada um.
 
Muitas vezes, uma estória simples, uma estória comum, uma estória básica, se encontra a solução para livrar um cliente, livrar um filho de santo, livrar até futuros problemas que um filho de santo, que um cliente possa vir a ter no futuro, daí a demarcação dos ebós, onde se tira os ebós de caminho, os ebós de Odu, trata-se também com certeza, explicando para cada caminho que se é dado a um filho de santo, porque nos itans, nas estórias que são reveladas através do conhecimento da evolução espiritual de cada sacerdote, extrai-se também a solução para o futuro onde muitas vezes convivemos com a ganância, convivemos com a inveja, convivemos de várias formas diferentes com situações diferentes que levam um filho, um cliente, muitas vezes ao pantanal da tragédia, muitas vezes levam ao caminho da perda, ao caminho da discórdia, da desavença, da separação. 
Mas nada que se fale nada que se pregue nada que se professe nos caminhos dos Orixás através dos itans, não quer dizer, que seja novo, não quer dizer que seja novidade para cada um, pelo contrário, para os Orixás tudo é antigo, tudo já foi feito, tudo já foi visto, cabendo a cada um, cabendo a cada sacerdote buscar nos itans o caminho certo, buscar nos itans a esperança, a explicação, o exemplo que cada Orixá, que cada um itan revelou para a cultura, para a mente, e através dessa estória, da cultura, das lendas que muitas vezes são ignoradas por muitos, que muitas vezes são vítimas de chacotas até por muitos, mas delas são extraídas a solução para todos que com certeza buscam a prosperidade, buscam o caminho da felicidade através de nossos orixás e com certeza sem os itans, sem a verdade não seria possível descobrir como foi descoberta a inveja e foi detectado também o meio de acabar com ela, como também foi descoberta a ganância, até mesmo o castigo que nós buscamos nos caminhos de queimação, nos caminhos de ebós, do troco, da resposta. Dos itans que revelam a ambição que cobra de cada um o preço mais alto possível quando se deve aos Orixás.
 
A partir da próxima edição, estarei colocando vários exemplos de itans e seus significados na vida atual.

Quem são as Crianças?

As entidades espirituais que incorporam em nossos terreiros com o arquétipo infantil e que formam a linha das crianças são representadas pela alegria, sinceridade, inocência e de tudo que é puro, no entanto essa linha e toda sua potência é pouco conhecida por nós Umbandistas que na maioria das vezes só as veem como crianças peraltas ou submissas.

 

Consequentemente os trabalhos religiosos com essa linha ficam cada vez mais distantes dos terreiros ou ainda ligadas somente ao sentido da festa, das guloseimas, na realidade essas crianças são mestres no conceito do bem e do puro e muito nos ajudam na evolução moral de nós médiuns, nos ensinando que a única forma de se levar vantagem é sendo puro, como é a criança.
Também não admitem a mentira e nem a maldade, trazem sempre renovações e esperanças, reforçando a natureza pura e ingênua dos seres humanos.
É uma das linhas que mais cativam as pessoas pelo ar inocente que traz na face dos médiuns, porém saibam que é brincando e rindo que eles efetuam seus maravilhosos trabalhos de descarga fluídica, aliás, muitos no sacudir dos braços e pernas que atiram seus fluidos naturais afastando assim, energias negativas das pessoas.
Suas conversas são cheias de risadas e brincadeiras, no entanto são profundas, sábias e altamente reveladoras, mesmo porque atua em nós o autoconhecimento. Além disso, uma de suas maiores capacidade é de nos fazer rir porque é nesse riso que captam a energia transmutadora e curadora de nossas amarguras.
Essas crianças lindas e sapequinhas sempre dizem: “O que os filhos das trevas faz, qualquer criança desfaz”! Nos demais períodos do ano esta linha é dificilmente chamada o que eu acho uma perda muito grande de energia num terreiro, ainda existem terreiros que acham que por serem crianças são pequenos e logo não tem maturidade suficiente para um passe ou consulta e que estão ali para divertir e fazer sua bagunçinha com seus doces e refrescos. Coitados desses!
Sem falar ainda que muitos confundem e os tratam como Exús Mirins e em alguns casos achando que são as mesmas coisas. As crianças são tão maduras como os demais guias. A simplicidade, sinceridade e a pureza de uma criança são incomparáveis, não existe sentimento tão forte e tão único quanto o de uma criança, porém tome muito cuidado com eles, pois o que eles prometem eles cumprem.
É ima das linhas, onde nos sentimos renovados, pois eles nos ensinam a alegria em sorrir com o nosso coração, a cura, pois enche nosso coração de alegria não dando espaço para sentimentos negativos. A simplicidade, porque nos ensinam que os melhores momentos e mais importantes estão em simples cenas e gestos no decorrer de nossas vidas e a pureza, pois é onde aprendemos a acreditar mais nas pessoas, desconfiando menos do nosso próximo, acreditando nos sentimentos dos outros para não magoarmos ao nosso próximo, ao nosso irmão.

Orixás e entidades da Umbanda e do Candomblé.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Umbanda de Caboclos, Boiadeiros, Pretos Velhos, Marinheiros e todo o seu mistério

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Ciganos, suas origens e seus mistérios.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Mestre Zé Pilintra

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Rainha Maria Padilha, Exús e Pombo Giras

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Lendas, Mistérios e Curiosidades da Religião Afro

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

%d bloggers like this: