Fogo

Fogo: A vela simboliza o elemento fogo. Pode ser de qualquer cor, dependendo da finalidade com que será usada, e deverá estar no canto superior esquerdo. O fogo representa o início e o fim da existência do homem. Por limpar e transmutar as energias negativas é usado em todo ritual de magia em forma de vela, carvão queimando, pira ou fogueira. Suas chamas são ideais para concentração, viagens astrais, meditações e o desenvolvimento da intuição.

Os quatro elementos

Os Ciganos trabalham com os quatro elementos da natureza:

terra, água, ar e fogo.

O ELEMENTO TERRA

Eles distinguem cada pedra e têm o conhecimento sobre elas, e assim manipulam o elemento terra. Cada pedra tem um porque de ser usada e uma necessidade. Quando é pedido para que passem a pedra em alguma parte do seu corpo ou para que a segurem, vocês estão se descarregando ou até mesmo se energizando, depende do trabalho que está sendo realizado. É na terra que se encontra firmeza para enfrentar a vida, resgatar Karma e continuar o caminhar.

O ELEMENTO ÁGUA

Podem utilizar copos ou taças com água. Através da água conseguem ver se não há maldade no que esta sendo pedido. Enxergam se há pureza no coração de cada um, pois a água serve de espelho, espelho esse que reflete o que tem dentro de cada um de vocês.
Conseguem ver com clareza o que foi feito por cada um e o por que de estarem colhendo o que não querem colher.

O ELEMENTO AR E FOGO

Podem utilizar o cigarro e com ele estar manipulando dois elementos, o ar e o fogo. O fogo muitas vezes é usado para queimar invejas, miasmas, larvas e cascões astrais.
A fumaça quando é direcionada ao consulente serve para envolvê-lo numa cortina para que naquele momento os obsessores sejam confundidos e tenham a visão obnubilada e fiquem desorientados, procurando o consulente. Assim torna-se mais fácil ao sistema de defesa da Casa (através dos guardiões) resgatá-los e afastá-los.
Nem sempre esses elementos são usados de uma só vez, que não precisamos diretamente dos mesmos, podemos plasmá-los perfeitamente usando o ectoplasma do médium.
Para um Cigano poder trabalhar em prol da caridade não é necessário um baralho, uma taça de vinho, ou qualquer outro elemento. Isso é mito. Eles podem usar e usam elementos da natureza em alguns trabalhos, entretanto, quando estão incorporados nos médiuns, a energia de trabalho e o próprio corpo do médium limitam a visão e o campo de ação da entidade.

Exú Pinga Fogo

Pertence à família das almas, seria o segundo na hierarquia do cemitério. 
Esse Exu é chefe de legião.
Exú Guardião!
Sua apresentação astral é de um homem com uma grande capa roxa por dentro e preto por fora com bordados dourado.
Em sua última encarnação foi um príncipe, enganava muito as pessoas, roubava, etc.
Pertence a Lina negativa de Yorima (almas, pretos velhos), serventia de Pai Guiné.
Seu mineral é ônix, preto bruto ou hematita.
Seu metal é chumbo.
Sua erva é bananeira.
Trabalha muito com ervas, punhais, fitas, crânios (imagem de barro).
Fuma charuto, cigarrilhas.
Bebe conhaque, uísque, marafo.
Sua guia é preta e branca com imagem de caveiras.
É pouco conhecido na umbanda.

Fogueira

SIGNIFICADO DA CHAMA PARA OS CIGANOS

Onde há ciganos há fogo. Este elemento é o grande companheiro dos ciganos. Por um lado porque serve para esquentar as noites frias e para cozinhar os alimentos, mas a maior tradição foi trazida das cerimônias hindus que sempre envolvem o fogo. Para limpar e transmutar as energias negativas é usado em todo ritual de magia em forma de vela, carvão queimando, pira ou fogueira. Suas chamas são ideais para concentração, viagens astrais, meditações e o desenvolvimento da intuição.
Segundo a tradição antiga, quando uma cigana está dando à luz, acende-se uma fogueira na porta da tenda. Quando o parto acontece em hospital acostuma-se acender uma vela.
Para resolver bem as situações e trazer harmonia à família, as casas ciganas usam acender as chamas do fogão, mesmo sem nada encima, mas o ideal é colocar uma panela com água para ferver com folhas ou flores.
Sempre que se acende um fogo, pode ser uma fogueira ou uma vela, se observa a chama para ver a mensagem que ela traz.
 
Se a chama e grande, longa, vibrando sem alternâncias significa que as energias que foram invocadas na cerimônia estão presentes.
 
Chamas altas significam ascensão e são sempre sinais positivos.
 
Chamas baixas: representam estagnação, um tempo de espera ou de resultados negativos caso tenha se feito uma pergunta. É um sinal negativo.
 
Chamas baixas e para a direita indicam que a pessoa ou a cerimônia estão com proteção.
 
Chamas altas para a direita: indicam respostas muito positivas e futuro com fartura.
 
Chamas para a esquerda: pedem para deixar que o passado siga seu caminho e para tomar cuidado com a impulsividade.
 
Chama da vela subindo e baixando fazendo a vela chorar indica que deve-se tomar cuidado com o que se perguntou. É necessário que se amadureça mais a questão e que se evite o contato com situações ou pessoas perigosas.
 
Chama que se apaga repentinamente: todo cuidado é pouco com relação a acidentes e assaltos.
 

 

Maria Padilha, Rainha do Fogo

Nome que significa Rainha do Fogo, Maria Padilha já teve várias encarnações na terra, e  a última delas foi em Ilhéus. Nesta sua última encarnação, ela era uma espanhola que veio para o Brasil morar em Ilhéus na Bahia e foi morta na porta de um cabaré. Todos os homens que ela teve, em cada uma das encarnações, num total de sete estão com ela na espiritualidade.

Entre mitos mais variantes que revelam alguma qualidade a característica especial desta mulher, o que servirá nos terreiros é o segundo nome que acompanhará o primeiro. Recebe outros apoios que alguns podem pensar que se trata de outra Pombo Gira. mas na realidade ela é: “Rainha dos Infernos”, “Rainha do Candomblé”, “Rainha das Marias”, “Rainha das Facas”, “Mulher de Lúcifer”, “Rainha da Malandragem”, “Rainha dos Ciganos”, etc. Em cada lugar lhe dão diferentes sobrenomes, que na realidade busca elogiar a entidade e transmitir uma maior intimidade.

Pombo Gira Maria Padilha é conhecida por sua eficiência e rapidez, e está entre as mais populares das Pombo Giras. Maria Padilha também descreve um certo tipo de mulher que exige respeito e cujo comportamento é real. Muitas lendas cresceram em cima da sua reputação de feiticeira, e dentro de cem anos, as bruxas na Espanha e Portugal, usavam seu nome e chamando seu espírito para ajuda-las em suas magias. Tem predileção – igual ao seu principal marido, Rei das 7 Liras (Lúcifer) – pelas navalhas e armas brancas em geral, especialmente aquelas que são afiadas e pequenas, onde se deve ter muita agilidade para não ser cortado. Ela gosta de luxo, de homens, de dinheiro, de jóias, dos jogos de azar, de bebidas finas, cigarros, de baile e de música. É uma grande bailarina, cujos movimentos podem incluir passos das ciganas em alguns momentos, mexendo sensualmente seus braços, como quem desfruta plenamente de seduzir com o corpo em movimentação. Seu porte é altivo, orgulhoso, majestoso, possui características das mulheres que não tem medo de nada. É muito requisitada para atrair amantes, abrir os caminhos, trazer o amor de volta, mas principalmente é muito temida por sua frieza e seu implacável poder na questão de demandas.

Elemento Fogo

 

Elemento Fogo

 
Os Ciganos acreditam que o FOGO queima a negatividade e ilumina a positividade. A vela, para eles concentra as energias dos quatro elementos. A água e a terra são representadas pela cera e o pavio. O fogo é a chama e o Ar (oxigênio) a mantém viva (acesa). Esses elementos são divididos em ativos e passivos, sendo o fogo e o ar elementos ativos e água e terra elementos passivos.

O fogo é um elemento poderosíssimo dentro da cultura cigana e grande poder energético e habilidosamente rápido para estancar influências negativas. O fogo é responsável pelo processo de limpeza rápida dentro do culto. O grande poder do fogo é indicado em vários rituais de limpeza e é por isso que para os ciganos é fundamental a presença do seu calor ou das suas chamas em ritos ou em suas comemorações devido ao seu alto poder de purificar, contudo é ao mesmo tempo extremamente perigoso não sendo manuseados por pessoas que não tenham preparo ritualístico dentro do culto cigano. O ritual do fogo ou fogueira cigana é uma função de iniciados, onde as mulheres dançam a sua volta reverenciando e invocando seus ancestrais, pedindo esperança, confiança, vida longa, enfim que os maus espíritos não consigam se aproximar. Ao fazerem movimentos com suas danças, as mulheres movem o ar que abanam as chamas do fogo alimentando-as e mantendo-as bem acesas, renovando assim todos os bons pedidos. Este é um ato apesar de litúrgico principal dentro da cultura cigana, o ritual da fogueira, o fogo é sempre reverenciado em rituais desde o nascimento ao casamento, desde o batismo ao falecimento. O ar sem o qual as chamas não se mantém vivas é o fogo energético.

Orixás e entidades da Umbanda e do Candomblé.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Umbanda de Caboclos, Boiadeiros, Pretos Velhos, Marinheiros e todo o seu mistério

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Ciganos, suas origens e seus mistérios.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Mestre Zé Pilintra

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Rainha Maria Padilha, Exús e Pombo Giras

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Lendas, Mistérios e Curiosidades da Religião Afro

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

%d bloggers like this: