Cigana da Lua

Esta entidade cigana é muito querida nas giras do povo do oriente, não costuma baixar em giras que não seja específica do seu povo cigano.

Seus trajes são sempre em diversos tons de azul e só recebe suas oferendas em noites claras de lua cheia.
Esta cigana só trabalha para os amores impossíveis, adora trazer para uma pessoa desesperada aquele amor que foi embora e que nunca mais teve notícias…
Seus trabalhos sempre são simples, mais nas suas oferendas gosta de muitas fitas, flores,frutas, cigarrilhas e vinhos.
A Cigana da Lua quando incorporada dança suave sem muitas voltas… fica sempre perto da porta e quando as giras são feitas em lugares abertos só chegam em noites de lua.
Ficam sempre sorrindo mas não costumam gargalhar como suas companheiras…
Adora conversar, lêr mãos e jogar cartas…
Esta sempre dando palavras de conforto e de esperança, pois ela conhece a vida como ninguém…
 
O ponto
 
“Em noite de lua ela vem girar, em noite de lua ela vem ofertar!
Ela oferta palavras bonitas e trás o amor de volta de quem desejar!
Ela é a cigana da lua, mulher meiga do oriente que vem trazer seu brilho, sua força, seu amor e sua fé…
Ela é a pomba gira cigana da lua, que usa o manto azul de Iemanja e Oxumaré.”
 
Fonte: Espada de Ogum

Salve o Sol e Salve a Lua

A Lua, Os talismãs

A LUA

Para o Povo Cigano, a Lua Cheia é o maior elo de ligação com o “sagrado”, quando são realizados mensalmente os grandes festivais de consagração, imantação e reverenciação à grande “madrinha”. As celebrações da Lua Cheia acontecem todos os meses em torno das fogueiras acesas, do vinho e das comidas, com danças e orações. Também para os Ciganos tudo é vida, é “maktub”  (está escrito nas estrelas), por isso são atentos observadores do céu e verdadeiros adoradores dos astros e dos sidéreos. Os ciganos praticam a Astrologia da Mãe Terra respeitando e festejando seus ciclos naturais através dos quais desenvolvem poderes verdadeiramente mágicos.
Para os Ciganos no plano mental a lua representa nosso inconsciente e as nossas emoções. Cada uma destas fases influencia nossa sensibilidade, nossa disposição e, portanto nossas atividades. As fases da lua são muito importantes na magia cigana, como em qualquer outra magia, portanto devemos respeitar as forças da natureza.
·        Lua Nova – é o momento da germinação, na busca de novos caminhos. Ficamos mais introspectivos e indecisos. Não é um bom momento para tomarmos decisões. É a época de deixarmos amadurecer nossos propósitos e ideais.
·        Lua Crescente – nossas idéias e emoções tornam-se pouco a pouco, mais claras. Ficamos mais objetivos. É o momento de colocarmos em prática o que planejamos. Tornamo-nos mais sociáveis.
·        Lua Cheia – simboliza a plenitude. Ficamos mais receptivos.Nosso inconsciente aflora mais facilmente. Tudo que planejamos chega ao seu nível máximo de potencialidade.
·        Lua Minguante – este é o período de avaliação daquilo que foi feito. É o momento de terminar tudo que foi iniciado nos ciclos anteriores. Ficamos extremamente sensíveis.
  

A CULINÁRIA

Na culinária cigana são indispensáveis: o cravo, a canela, o louro, o manjericão, o gengibre, os frutos do mar, as frutas cítricas e as frutas secas, o vinho, o mel, as maçãs, as peras, os damascos, as ameixas e as uvas que fazem parte inclusive dos segredos de uma cozinha deveras afrodisíaca.
  

AS FERRAMENTAS

O punhal, o violino, o pandeiro, o leque, o xale, as medalhas e as fitas coloridas; o coral, o âmbar, o ônix, o abalone, a concha marinha (Vieira), o hipocampo (cavalo-marinho), a coruja (mocho), o cavalo, o cachorro, o galo e o lobo são símbolos sagrados para o Povo Cigano.

A verbena, a sálvia, o ópio, o sândalo e algumas resinas extraídas das cascas das árvores sagradas são ingredientes indispensáveis na manufatura caseira de incensos, velas e sais de banho, mesclados com essências de aromas inebriantes e simplesmente usados nas abluções do dia-a-dia, nos contatos sociais e comerciais, nos encontros amorosos e principalmente nos ritos iniciáticos, de forma sensível e absolutamente mágica, conferindo grandes poderes.

O grande símbolo geométrico do Povo Cigano é o Círculo Raiado (representando a roda da carroça que gira pelas estradas da vida) provando a não linearidade do tempo e do espaço; e o Pentagrama (estrela de 5 pontas) simbolizando o Homem Integral (de braços e pernas abertos) interagindo em perfeita harmonia com a plenitude da existência. O maior axioma do Povo Cigano diz simplesmente: “A sabedoria é como uma flor, de onde a abelha faz o mel e a aranha faz o veneno, cada um de acordo com a sua própria natureza”.
  
O IDIOMA
 
Uma das maneiras de os ciganos se manterem unidos, vivos, com suas tradições preservadas é o idioma universalmente falado por eles, o Romani ou Rumanez, que é uma linguagem própria e exclusiva.
É expressamente proibido ensinar o Romani para os não-ciganos; e os ciganos fiéis às tradições, que rezam sua origem, seus irmãos de raça, que são verdadeiros ciganos, sabem disto. Portanto, quando alguém que se diz cigano quiser ensinar o Romani, geralmente as custas de dinheiro, ou então passar  segredos e as íntimas particularidades da vida cigana é bom ter cuidado, pois com certeza, ele ou ela não é um autêntico cigano, obediente aos preceitos e princípios de seu povo. Ele poderá ser até cigano de origem, mas não será mais um cigano de alma e coração capaz de manter a honradez de seus antepassados e contemporâneos autênticos.
A TRANSMISSÃO ORAL DOS ENSINAMENTOS

O Romani é uma língua ágrafa, ou seja, uma língua ou idioma sem forma escrita. Portanto, para sua perpetuação o Romani conta somente com a transmissão oral de uma geração para outra, de pai para filho. Não existem livros ensinando uma linguagem, que não tem sequer uma apresentação gráfica definida, pois se os ciganos tivessem se originado na Índia teríamos os caracteres sânscritos, mas como encontramos ciganos em quase todas as partes do mundo, o Romani poderia ter os caracteres da escrita russa, ou egípcia, latina, grega, árabe ou outra qualquer. Assim como o idioma, todos os demais ensinamentos e conhecimentos da cultura e tradição ciganas dependem exclusivamente da transmissão oral. Os mais velhos ensinam aos mais jovens e às crianças os conhecimentos do passado, o pensamento e a maneira de viver herdado dos ancestrais.

  

OS TALISMÃS

A força existente em um talismã envolve principalmente as energias inconscientes que projetamos nele. O talismã funciona como sendo um ponto focal dessas energias. Para muitos de nós, nossos desejos precisam de um objeto concreto para que se manifestem. Se você acredita que um Talismã irá ajudá-lo, ele realmente poderá ajudar você a alcançar seus objetivos. Entretanto, e por este mesmo motivo, você deve, acima de tudo, acreditar em sua capacidade de agir sobre o mundo que o cerca.

Talismãs mais conhecidos e usados:
Rosa – favorece as paixões e traz prosperidade.
Coração – protege a vida afetiva.
Borboleta – harmonia conjugal. Bom relacionamento doméstico. Vida, morte e ressurreição.
Gato – harmonia, felicidade.
Lua Crescente – sorte no amor
Tartaruga – Longevidade
Âncora – estabilidade
Olho – proteção contra o mal.
Ferradura – boa sorte, dinheiro, prosperidade.
Chave – favorece todas as situações que envolvam mudanças.
Pentagrama – representa o domínio da razão sobre a emoção.
Figa – afasta o mau olhado.
Ouroboros – (a serpente que morde a própria cauda): traz equilíbrio, força e determinação.
Trevo de 4 folhas – traz boa sorte, felicidade e fortuna.
Pomba – símbolo da paz, está associado às deusas-mãe. Traz felicidade para os amantes.

A Lua

A LUA

Quando os ciganos vão ao seu santuário, perto de Arles na Provença, onde festejam também as “Santas Marias do Mar”, Madalena, Jacobé e Salomé, sempre o fazem em tempo propício. A Lua cheia, ou a nova, ou a minguante, ou ainda a crescente, importa para a realização de trabalhos mágicos. Pois, para os ciganos, a Lua é a maga do Zodíaco.
Quando os vi pela primeira vez era noite de Lua cheia e dançavam num bródio, comezaina para festejar um gade. Eles me aceitaram, única pessoa ali que não era gajo, nem manuche. Eu, então uma menina, fui aos poucos colhendo os frutos de suas vidas e de suas crenças. A primeira que aprendi foi sobre a força da Lua, sua influência em nossa vida, seu valor mágico.
A Lua, como nosso mais próximo vizinho sideral, está a uma distancia média de 382.000 km do centro do nosso planeta. Assim, ela é a nossa influência mais próxima. Faz uma volta completa em torno da Terra em pouco mais de 27 dias. Em virtude da posição relativa dos três astros, Lua, Terra e Sol, surgem os vários aspectos: Lua nova, Quarto crescente, Lua cheia, Quarto minguante. Metade da Lua permanece sempre obscura. Assim, para os ciganos, ela tem uma parte sempre oculta, reservada, uma grande incógnita. Logo, é como uma sacerdotisa, uma pítia, uma maga que se encobre em mantos no Zodíaco. Tem uma parte sempre secreta, como os magos. Também muda em quatro fases, como são os elementos da magia: terra, ar, água e fogo. Ela tem uma luz que não lhe pertence, é a luz solar refletida em si e assim, ela como as forças da
Magia existem sempre através de uma força maior que domina o mago. A Lua é feminina e foi adorada como Isis, no Egito; Carmona, Vênus, Afrodite (Grécia e Roma), e pana os ciganos ela é Sara, a maga, a mãe, o útero, o óvulo, tudo que é feminino.
Assim, se os ciganos desejam fazer um feitiço sempre observam em que fase a Lua está. Acreditam que as pessoas cujo signo tem a influência lunar são místicas, falsas, megeras, poderosas ou produtivas.
Já as que têm a influência do Sol são fortes, lutadoras, capazes, dotadas de magnetismo animal, perigosas e idealistas. O Sol, como a estrela mais próxima da Terra, é a única de nosso sistema planetário que faz com que as pessoas por ele influenciadas sejam únicas, dominadoras e façam com que os outros girem sempre á sua volta. Ele domina os planetas e os asteróides ao seu redor. Ou seja: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno, Plutão e os asteróides Ceres, Palas, Vesta.
Outros satélites como a Lua e os meteoritos. Assim, todos os que têm no Sol a maior influência planetária são o centro de tudo à sua volta.
São também quentes e alegres, pois o Sol é fonte de energia e vida para tudo e todos. Em magia, o homem é simbolizado pelo Sol e a mulher pela Lua. Mas, como me ensinou Runhol naquela festa de casamento, “há mulheres que são mais solares do que seus homens. Outras têm uma boa carga de Sol em suas vidas, mas não deixam que o Sol domine sua Lua, tornando-as agressivas. Outras nem sabem disso e se tomam fêmeas rabugentas, orgulhosas, egoístas e até estéreis, o que uma manuche nunca pode ser, pois os filhos são a grande herança do casal e da tribo. Uma cigana nunca deve ter menos de cinco ou seis filhos. Quanto mais melhor”, falou o velho cigano Runhol aquela menina que foi vê-lo pela primeira vez.
Hoje, como dirigente do “Templo de Magia Cigana”, jogo cartas como as manuches, leio a sorte como os gitanos, conheço-os e aprendi que em toda a parte há gente boa e má, solar ou lunar, dependendo não da cor da pele, da origem, mas da sensibilidade, vivência e fraternidade que cada um possui. Cultura semsensibilidade se torna árida. Amor sem sexo, incompleto; desejo sem luta, irrealizável.
Assim como a Lua influi em nós mulheres e nas colheitas, ela também influi em nosso físico. Assim, para que os cabelos cresçam, as manuches só os aparam em Lua cheia. Um noivado ou casamento sempre se faz na Lua cheia. Um passeio, para restituir a saúde, só em dia de Sol. E um bom trabalho de amarração, para dominar de novo alguém que ande esfriando, requer tempo de Lua cheia.
Muitas destas palavras que citei acima são do dialeto cigano, assim um homem cigano é um gadjé e um gajão ou gajo é um não cigano. Uma mulher é manuche (quando cigana) e gavina quando não zíngara. Um feiticeiro é um kaku, espécie de xamã de toda a tribo. Uma mulher que domine a tribo é a mãe-de-tribo. E dinheiro, um dos maiores amores dos ciganos, é lovés. De hábitos errantes, eles hoje se fixam. Muitos estão na Itália, tziganes; na Alemanha são chamados zigeuner, e gitanos na Espanha.
Na força do Sol e na força da Lua que eu possa contar um pouco de suas tradições secretas, em meio a vozes afinadas, que soam nas noites claras de luar nas festas e bródios gitanos.

Orixás e entidades da Umbanda e do Candomblé.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Umbanda de Caboclos, Boiadeiros, Pretos Velhos, Marinheiros e todo o seu mistério

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Ciganos, suas origens e seus mistérios.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Mestre Zé Pilintra

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Rainha Maria Padilha, Exús e Pombo Giras

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Lendas, Mistérios e Curiosidades da Religião Afro

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

%d bloggers like this: