Cigana Salomé do Egito

Com cabelos longos e ondulados, e olhos profundamente negros e amendoados, Salomé traz em sua cabeça um adorno de ouro que ganhou de seu pai e no pescoço um cordão de ouro herança de sua mãe.
 
Sua voz é doce, mas sua palavra é de ferro, pois sabe mandar, mas ao mesmo tempo acolhe seus protegidos com amor e carinho, e os livra de muitas perseguições, pois esta cigana é justiceira, e luta por quem nela tem fé.Esta cigana é maravilhosa,a beleza de Salomé era marcante e exótica.
 
Excelente vidente, e tiradora de cartas era sempre procurada também por suas magias fortíssimas para união de casais que se amavam,. mas que estavam separados, para devolver a saúde à pessoas doentes, etc, e Salomé sempre ganhou muitas jóias de moedas de ouro que foram guardadas em um baú que era só dela.
Quando Salomé morreu, o povo do povoado onde nasceu lamentou muito a sua partida, pois ela se fez muito querida, e sempre passava por lá com a sua caravana, até o dia de sua morte.
 
Após o seu falecimento, o espírito de Salomé recebeu muitas e muitas orações de agradecimento, e sua alma iluminou-se de tal modo que aqueles que tem o dom de vidência logo a reconhecem pela luz que se manisfesta à distância, e o cheiro de jasmins frescos do campo.
 
Salomé cuida muito bem de seus protegidos, mas não admite mentiras ou traições, pois é muito justa. Quem tem esta cigana na aura, é extremamente intuitiva, e tem tendências a explosões de humor. Bem, a cigana Salomé tem uma força espiritual muito grande, desde menina era vidente e clarividente (ouvia espíritos), antepassados que lhe mostravam tudo o que deveria aprender.
 
 
 
 
 
Encantadora, muitos homens se apaixonaram por ela, ciganos ou não, e ela sempre ganhava muitos presente por sua beleza, mas era muito desconfiada e não entregava o seu amor à ninguém.
 
Salomé amou uma única vez na vida, mas o seu amor morreu primeiro que ela, lhe deixando muitas saudades, muita dor…
 
Dona de uma vontade de ferro quando batia o pé, nada a o movia do que queria, mas também profundamente justa, e tinha muita compaixão por idosos e pessoas doentes, e adorava crianças. Salomé era muito procurada pela força de sua magia, e ganhou muitas moedas de ouro e jóias por resolver problemas de amor, doença, e unir casais que se amavam mas que estavam separados.
 
Salomé detesta pessoas mentirosas e falsas e mais ainda pessoas “espertalhonas” que gostam de lesar os outros. Salomé inspira meiguice, mas tem palavra de ferro quando quer.
 
Suas cores são: amarelo, dourado, marrom, laranja,cobre,o amarelo claro, areia, e seus horários são sempre após o sol se por, pois ao por do sol, Salomé tem saudades de seu amor.
Espírito iluminado, alguns médiuns sentem a sua presença, com o perfume de jasmins do campo que acompanha a sua linda alma, de uma impressionante luminosidade.
Sua flor favorita é o jasmim e a rosas branca, em suas mãos, geralmente se vê uma flor de jasmim branco, ou um ramalhete de jasmins.
 
Tem a aparência de uma menina, e a sabedoria de uma mulher idosa, lindo espírito!!!
 

Cigano Damiani

Pietro Damiani era o seu nome. Filho de saqueador espanhol, que numa de suas estadas pelo Brasil, conheceu uma brasileira muito bela e a levou para a Espanha. Seu pai era devoto de San Martín, que tirava dos ricos e dava aos pobres. Num desses saqui atingido por uma flecha que paralisou o lado direito de seu corpo.
 
Envergonhado, por ter sido um grande e respeitado saqueador, trabalhando inclusive para a Coroa Espanhola, resolveu se refugiar para não mais ser encontrado. Foi para o campo ficar em contato da natureza para tentar se redimir de seus pecados, segundo ele através de uma mensagem de San Martín.
Lá chegando fundou uma aldeia, composta por mutilados de guerra, presos, refugiados, e suas famílias. Passaram a acreditar nos ensinamentos de seu pai, e numa assembléia definiram os afazeres da aldeia, de acordo com as habilidades de cada um.
 
Uns lidavam com cobre, outros com ervas, outros com cristais, etc. Após alguns anos seu pai recuperou parcialmente os movimentos, e sua mãe engravidou. Damiani nasceu em uma linda noite de lua cheia.
 
Seu pai, tomando-o pelos braços, dizendo que ele não teria o mesmo destino de outros ciganos (pois era assim que passaram a ser chamados), que eram normalmente decapitados, ou mortos por punhaladas.
 
Seria ele um chefe de aldeia e morreria de velhice. Damiani cresceu, aprendendo todos os fundamentos com seu pai. A esse tempo, todos na aldeia já tinham adquirido alma cigana. Em uma de suas viagens seu pai encontrou verdadeiros ciganos, de alma e sangue, que resolveram unir-se a eles, formando assim um grande clã. Nessa aldeia conheceu Carmem, e se interessou por ela.
 
Seu pai veio a falecer em uma emboscada armada por um homem, cuja esposa havia presenteado-o (seu pai era um homem atraente e atraía a atenção das mulheres), e um cigano da mesma aldeia de Damiani, que foi pago para executar o serviço.
 
Ele, por ser o primogênito, assumiu a chefia da aldeia, gerando a insatisfação do cigano que era chefe da outra aldeia que juntou-se a de Damiani.
Por respeito a esse homem, Damiani nominou-o como Pablo, não sendo, porém, seu verdadeiro nome.
 
Pablo era bem mais velho e começou a criar intrigas na aldeia. Em um dia de festa na aldeia, com muito vinho, frango, danças, Damiani pediu autorização à sua mãe para casar-se com Carmem, e ela concedeu. Realizaram então, a cerimônia de noivado, que entre o povo cigano é um pacto de sangue feito na palma das mãos (no casamento o pacto de sangue é feito nos pulsos).
 
Revoltado por Carmem não ter escolhido seu filho e ter se entregado de corpo e alma a Damiani, Pablo tomou o cálice de vinho das mãos de Damiani e lhe disse que assim como cigano não pede, ganha, seu filho seria um dia o chefe daquele clã. Damiani não tomou como ofensa. Já havido todos bebido demais, resolveu encerrar festa. Sabendo ele que só poderia casar-se com Carmem quando ela atingisse a maioridade, que era aos 21 anos, resolveu esperar essa data, em respeito aos costumes da aldeia de onde ela provinha. Ela contava na época com 15 anos, e ele com 21. Deveriam esperar então 6 anos.
 
Durante esse período a sua aldeia foi acumulando muitas riquezas, e isso gerou intrigas entre os ciganos. Usava os ensinamentos de seu pai para tentar manter a ordem. Durante esse período, Damiani notou que uma cigana da aldeia que o observava desde pequenino, havia sumido. Em um de seus passeios, Carmem foi banhar-se em um rio próximo da aldeia, quando não percebeu que a correnteza a levava. Damiani pulou no rio para salvá-la, e ao sair, viu o rosto da cigana que sempre lhe observava, e que havia sumido da aldeia. Retornando à aldeia Pablo disse a todos que aquele acontecimento fora um aviso de que algo ruim aconteceria a Damiani, o que lhe deixou pensativo, pois algumas vezes Pablo acertava em sua premonições.
 
Passaram-se então mais alguns anos (em que Damiani aprendeu a ler mãos, cartas, enxergar através da água, ter intuições), Carmem já quase atingindo a maioridade resolveu, em um dia de primavera, ir buscar flores no rio.
Novamente, ao tentar alcançar uma flor, caiu no rio. Damiani salvou-a e a levou para a aldeia.
 
Porém, lá chegando, teve um pressentimento que se voltasse para pegar a cesta de flores que ela havia recolhido, seu casamento não daria certo. No caminho sentiu que alguém lhe observava. Chegando no rio, resolveu apanhar também a flor que Carmem tentara pegar, sem sucesso. Caiu ele também ao rio, e ao se escorar para salvar-se, sentiu uma ardência em sua perna. Percebeu que tinha sido picado por uma das cobras mais venenosas que havia na região. Sentiu que duas pessoas o observavam e gritou por socorro, quando começou a pensar que seu pai estava errado no que falara ao seu nascimento.
 
Foi quando apareceu Pablo e lhe estendeu a mão para salvá-lo, tirando-o da água. Vendo que já estava fraco e não conseguiria andar, pois já estava sob o efeito do veneno, colocou-o de pé, segurou suas mãos, tirou-lhe o anel e o medalhão que eram de seu pai e disse-lhe que seria novamente o chefe da aldeia. Deu uma gargalhada e empurrou-o para dentro do rio, quando então, Damiani sentiu uma mão que o tirara do rio. Meio desfalecido e com muita dificuldade, abriu seus olhos e viu aquela cigana que lhe observou durante anos.
Ela era na verdade uma feiticeira que por opção própria se ausentara da aldeia, auxiliando-os porém de longe, em casos de doenças. Mas nunca aparecia diante de ninguém. Se de seus remédios necessitavam iam à floresta, faziam seus pedidos em voz alta, e retornavam no dia seguinte para apanhar o remédio, que era sempre colocado em uma pedra.
 
Essa cigana tratou de Damiani durante 3 meses, os quais manteve-o entorpecido e sob tratamento do veneno da cobra. Após sua recuperação, ele voltou à aldeia.
 
É importante salientar que durante esse período ele não manteve contato com a cigana. Nem ao menos teve a certeza de que alguém cuidou dele.
Chegando na aldeia descobriu que Carmem havia se envenenado, pois Pablo, que assumira a chefia da aldeia, queria obrigá-la a casar-se com seu filho, e ela não aceitando isso, resolvera fugir. Foi capturada e levada de volta para a aldeia, mas “se não podia ter Damiani, preferia a morte”. Damiani reassumiu a chefia da aldeia, e nunca casou-se. Morreu aos 70 anos de idade, quando inacreditavelmente, o veneno da cobra fez efeito em seu organismo.
Sua missão havia findado.

Montando um Altar Cigano

A importância de um altar para os Ciganos Encantado Orientais é que o altar serve como elo de ligação e comunicação entre o Cigano é o médium.Desde o momento em que existe a intenção de se oferecer um altar a um Cigano, ali se cria um elo espiritual onde quer que esteja, o Cigano que é cultuado ali sempre irá ouvir o chamado feito pelo médium diante do altar.
 
O mais importante em um altar Cigano são os 4 elementos. Para representá-los, usamos um castiçal com uma ou mais velas, representando o fogo, mesmo que a vela esteja apagada.
 
As cores podem ser qualquer uma, exceto preto e marrom. Essas cores só são usadas em certos tipos de rituais.
 
 
NÃO PODEMOS ESQUECER QUE TEMOS QUE TER A IMAGEM DE SANTA SARA KALI E DE N.Sra.APARECIDA, ASSIM COMO A IMAGEM DE NOSSOS CIGANOS ESPIRITUAIS.
 
 
Deveremos ter uma taça bonita com água. A água é simbolismo de sentimento, por isso deve ser sempre a mais pura e limpa possível (água mineral sem gás).
Essa água na taça atua como um catalisador de más energia, e quando estiver turva, deve ser jogada em água corrente e trocada, sempre por água filtrada ou mineral.
 
Um incensário, onde um incenso deve ser aceso pelo menos uma vez por semana representa o Ar, mesmo sem incenso.
Incenso floral para Ciganas(dama da noite, jasmim,, rosa etc.).
Incenso Herbal para Ciganos(canela, cravo,mirra, etc).
 
Cristais, de vários tipos, cores, formas e tamanhos; caso não seja possível ter muitos, coloque alguns escolhidos por intuição. O ideal é ter pelo menos uma pedra em estado bruto/ponta. As pedras podem ficar também num pote de vidro transparente sem tampa com água, pois a mesma potencializa a capacidade energética dos Cristais.
 
Os Cristais fecham o ciclo representando a terra.
 
Além desses elementos que são básicos, qualquer outra coisa que seja sentida por intuição, pode ser colocada : baralho cigano, leque, lenço, baú etc. As únicas exceções são Punhal – só deve ser colocado o punhal já trabalhado, ou seja , que tenha passado pela magia de um cigano, que pode ser o seu incorporado, ou de outra pessoa (alguém que fez o trabalho no punhal para você nesse caso, recomendo muitíssimo cuidado antes de aceitar).
 
Para fortalecimento de Ciganos(as), é muito bom colocar fruta no altar, pelo menos 1 vez por semana, na 2ª noite de lua cheia ou crescente, só não coloque frutas ácidas… Ciganos não gostam de sabores ácidos, pelo menos a maioria. As frutas devem ficar até um pouco antes de apodrecer, e devem ser despachada num jardim bonito.
 
Podem ser oferecido também uma taça com vinho, além da que tem água, pois o vinho é a bebida Universal dos Ciganos.
 
Flores também são bem vindas no altar as flores devem ser, cravo branco ou vermelho, girassol, lírio branco ou rosa branca(rosas em números ímpares)
As flores murchas/secas devem ser despachada no jardim onde não haja espinhos.
Não limpe seu altar na fase da lua minguante, pois isto atrapalharia sua boas vibrações como saúde e prosperidade.
 
Depois de criado seu altar, todos os dias aproxime-se dele faça a oração, mentalize a força que te acompanha. Que Santa Sara Kali e N.Sra.Aparecida ilumine nossos caminhos e nos traga muitas luzes.
 
 
CUIDE BEM DO SEU ALTAR, POIS ELE É UMA JOIA PRECIOSA QUE VC TERÁ EM SUA CASA.
 
QUE DEUS NOS PROTEJA E TRAGA SEMPRE PARA JUNTO DE NÓS CIGANOS ESPIRITUAIS TRAGAM PARA TODOS QUE ACREDITAM NESTA FORÇA.  A SUA LUZ!!!

Cigana Katiana Natasha

Cigana morena, de cabelos pretos e olhos castanhos, quando chegou à Grécia encontrou uma planta de flores lilás: a violeta.

 

É por isso que ela faz magia com a violeta para combater os espíritos maléficos.
Ela diz que o perfume da violeta espanta os invejosos do caminho.
 
Com as folhas da violeta, ela faz essências aromáticas para afastar as coisas ruins do seu lar.
 
A cigana Katiana Natasha fez sua passagem na Rússia..
 
Seu espírito nunca deixou seus descendentes, sempre emigrando com seu povo até chegar a hora de Ana nascer.
 
Sua magia, para afastar os invejosos de seu lar é assim: violeta socada e cinco folhas de violeta.
 
Ela coloca tudo numa vasilha de vidro e manda colocar em sua casa
Salve, Katiana Natasha, que é maravilhosa, pois só gosta de trabalhar para a paz.

Cigano Ramires

No dia 24 de maio de 1577, o velho cigano Bergem casou-se com a jovem cigana Gênova, formando assim, mais uma família cigana. No dia 28 de maio de 1578 nasceu a primeira filha do casal, que levou o nome de Huélva. O casal era muito feliz com sua pequena filha.
 
Algum tempo depois, Gênova engravidou novamente e, no dia 24 de junho de 1580, para completar a felicidade do casal, nasceu um menino, no qual Gênova colocou o nome de Ramires. Assim se completou o grupo familiar de Bergem e Gênova, formado por quatro pessoas. Bergem era muito mais velho do que sua esposa, mas eles eram um exemplo de felicidade e amor.
Quando Ramires estava com quatro anos, no ano de 1584, sua família ia para Madri e, no meio da viagem, o tempo mudou e caiu uma forte tempestade. As carroças do comboio deslizavam na estrada cheia de lama e poças d’água; a escuridão era imensa.
 
Em dado momento, todos escutaram um barulho muito forte: uma das carroças tinha virado. Era um quadro desesperador. O velho cigano Bergem, sua jovem esposa Gênova, sua filha Huélva, de apenas seis anos, e seu filho Ramires, de apenas quatro anos de idade, estavam debaixo da carroça.
 
O cigano Pedrovik, irmão de Bergem e chefe do grupo, veio logo socorrer o irmão e sua família; mas, infelizmente, não pôde fazer mais nada, além de desvirar a carroça e colocar dentro dela os corpos do irmão, da cunhada e da sobrinha. Só o sobrinho estava vivo, sem nenhum arranhão no corpinho.
Pedrovik tomou conta de pequeno Ramires que, daquele dia em diante, tornou-se uma criança diferente. Ele ficava sempre isolado, vivia só, seu comportamento era bem distinto do dos outros meninos do grupo.
 
O tempo foi passando. Ramires tornou-se homem feito. Mas era de poucas palavras, seu comportamento continuava estranho, não mudara nada desde o tempo de criança, quando ficava isolado de todos.
 
Certo dia, seu tio Pedrovik chamou-o na tenda e disse:
“- Vamos conversar, meu filho. Já és um homem
eu decidi que irás casar com a minha protegida Zanair, neta da falecida Zaira.”
Ramires não teve escolha e assim foi concretizado o casamento, no dia 8 de abril de 1610, quando era plena primavera em Madri.
O casamento, realizado por Pedrovik, seguiu o ritual tradicional. Zanair estava belíssima com uma túnica rebordada de pedras reluzentes, a saia muito rodada que reluzia com os reflexos da fogueira, e uma coroa de flores naturais em tons claros na cabeça.
 
Depois de realizado o ritual de união dos dois, Pedrovik deu ao casal dois potes cheios de grãos, para que nunca faltasse alimento na sua tenda. Em seguida, Zimbia Taram, uma cigana idosa do grupo, cortou um fio de cabelo de Ramires e outro de Zanair; colocou-os dentro de um copo de cristal junto com os fios de crina de cavalo e de égua e outros objetos; e fez a magia do amor para que sempre houvesse sexo entre o casal, e para que eles tivessem muitos filhos.
Passados nove meses do casamento, Zanair deu à luz um lindo menino, a quem deu o nome de Izalon; e de ano em ano ela dava à luz mais um filho. Ela teve ao todo nove filhos, três meninos e seis meninas, que nasceram na seguinte ordem: Izalon, Pogiana, Tarim, Tainara, Tamíris, Diego, Thaís, Lemiza e Talita.
O fundo do coração de Ramires sempre foi um mistério. Ele teve de se adaptar à vida de família, superando muitos traumas da infância; entretanto, a seu modo, foi um esposo carinhoso. Foi também um ótimo pai, e criou seus filhos com muito amor e carinho.
 
Os membros dessa família desceram pela primeira vez à Terra como espíritos no ano de 1910..
 
Esse cigano era moreno-claro, de cabelos pretos lisos e olhos esverdeados.
 
 

SUAS ROUPAS

 

 
A roupa preferida de Ramires era blusão branco com mangas compridas fechadas por abotoaduras de ouro em forma de botões. Por cima desse blusão ele usava um colete de veludo verde rebordado com pedrinhas coloridas. Na cintura trazia uma faixa dourada, na qual prendia o seu punhal de prata com cabo de esmeralda. Sua calça era de veludo azul-turquesa.
 
 

SEUS ADEREÇOS

 

 
Ramires costumava usar na cabeça um lenço vermelho amarrado para o lado esquerdo. Na orelha direita trazia uma pequena argola de ouro; e no pescoço, um cordão de ouro com uma moeda de ouro antiga como pingente.
 

SUA MAGIA

 

 

Ramires fazia magia com dois espelhos em forma de triangulo. Ele os colocava no chão, um deles com uma das pontas voltadas para o Sul. Em cada ponta desses espelhos ele acendia uma vela branca e, no meio deles, colocava um copo com água e um cravo branco. Em seguida, ele pedia a Diuela que curasse uma pessoa doente.

O LENÇO PARA OS CIGANOS

O LENÇO É UM SIMBOLISMO FORTE ENTRE OS CIGANOS.

 

 

Significa a aliança da mulher casada em sinal de respeito e fidelidade. Santa Sara Kali protege as mulheres que querem ser mães e sentem dificuldades em engravidar. Protege, também, os partos difíceis. Basta ter fé na sua energia.
 
Peça mais importante do vestuário dos ciganos. Quando se quer oferecer o mais belo presente a uma cigana se diz:”Dalto chucar diklô” (Te darei um bonito lenço).
 
Oferecer um lenço para Santa Sara Kali, é uma forma de agradecer uma graça ou reforçar um pedido. Muitas que não conseguiam ter filhos faziam promessas para ela, no sentido de que, se concebessem, iriam para Saintes-Maries-de-La-Mer no Sul da França onde existe a cripta de Santa Sara Kali, na qual existem muitos lenços em sinal de graças de mulheres que engravidaram e tiveram seus filhos sadios.
 
O lenço pode ser oferecido em nome de qualquer pedido,não apenas com relação a fertilidade, Santa Sara Kali protege o povo cigano e atende os pedidos de qualquer natureza de quem tem fé.
 

Amarelo ou Dourado: Louvores Agradecimento por Vitória Alcançada

Azul: Proteção, Luz Espiritual poder Intuitivo, Filhos.

Branco: Paz de Espírito, Casamento Agradecimentos em Geral.

Lilás: Carinho Amor Correspondido

Púrpura: Prestigio e Vantagens Profissionais

Prateado: Benefícios em geral

Rosa: Amor, Compaixão e Maternidade.

Verde: Saúde, Bens Adquiridos e Vitalidade.

A maneira mais indicada é colocar o lenço sobre a cabeça da Imagem de Santa Sara Kali e Deixar por 21 dias consecutivos.

A BOLA DE CRISTAL

Ela mostra o futuro e abre as portas da sua mente…”

As bolas de cristal são instrumentos realmente poderosos. Muitas pessoas podem acreditar que a figura de uma mulher bonita em trajes ciganos, que olha para um cristal e vê imagens, é apenas mais um dos mitos em torno do povo cigano. Mas a verdade é uma só: as bolas de cristal existem e são um oráculo muito difundido na cultura cigana.
É um instrumento das artes adivinhatórias, muito popular entre os videntes.

PARA DECIFRAR AS IMAGENS, EXISTEM ALGUNS SINAIS. CONFIRA:

 

 

*As cores, quanto mais fortes, têm significados mais intensos. Branco indica uma ajuda que está por vir. O preto representa situações desagradáveis. As tonalidades vermelho e azul significam momentos de harmonia e felicidade. Mudanças positivas estão presentes nos sinais laranja, amarela e verde.
 
 
*Nuvens seguindo para cima, altas, é porque bons acontecimentos estão a caminho. Nuvens baixas representam planos que vão se realizar. Nuvens que caminham para a direita são indícios de ajuda espiritual, e para a esquerda, um aviso para que você escolha outro dia para usar a bola de cristal.
 
 
*Os raios que aparecem com muita freqüência anunciam mudanças que estão para acontecer.
 
 
*Bolinhas são um aviso para que tenha cautela com o perigo.
A bola de cristal é o exemplo mais antigo e divulgado da utilização das propriedades especiais dos cristais.
 
É conhecido que as bolas de cristal, feitas de diferentes pedras e tamanhos foram encontradas em todas as culturas humanas estudadas: Antigo Egito, Grécia, Roma, Creta, Síria, Ilhas Britânicas, França, Alemanha, Peru, Japão, Austrália, Sibéria, Turquia, América do Norte e América do Sul.
 
Na América do Sul as culturas que seguiam as antigas tradições maias e incas usavam pedras parecidas com o vidro para prever o futuro. No Leste, as bolas de cristal eram conhecidas como «as janelas dos deuses». Na Índia acredita-se que a pessoa que olhe para uma bola de cristal desenvolve o seu «eu» interior.
 
As bolas de cristal de hoje em dia são na sua maior parte feitas de quartzo puro, de forma que cristal e quartzo se tornaram sinônimos.
É importante lembrar que, apesar do termo «bola de cristal», muitos destes objetos não são bolas esféricas. Podem aparecer sob a forma de ovos, pratos, espelhos, estátuas, crânios, pulsos e corações.
 
As bolas redondas de cristal são preferíveis às outras formas. Um cristal maior é preferível a um mais pequeno. Contudo, o principal fator determinante da qualidade da bola de cristal é a claridade do cristal. Cristais perfeitos com o tamanho de um pulso e a máxima claridade são objetos valiosos.
 

O primeiro requisito para usar uma bola de cristal é entrar em profundo relaxamento. Neste estado, agarre a bola com as duas mãos e volte-a lentamente enquanto a fixa. Enquanto fixa a visão, deverá também focar os seus pensamentos para dentro da bola. Tente levá-los para o interior da bola. Nesta fase, quase bloqueia o corpo e os seus sentidos para agir unicamente ao nível do espírito, alma e sexto sentido. Se conseguir chegar a esta fase, terá conseguido abrir um canal astral entre o seu «eu» interior e a bola de cristal.

A energia absorvida do universo pela bola de cristal começa a passar para si. Subitamente consegue ver, ouvir e saber coisas que parecem gravadas a tinta na bola de cristal. Vê as coisas como se elas estivessem no centro da bola.

Como muitos pensam, a Bola de Cristal não faz parte da cultura cigana, mas o cigano a agregou como oráculo de clarividência e predestinação.
A Bola de Cristal vem do antigo oriente, várias civilizações a usavam, ate no mundo Árabe antigo.
A Bola de Cristal deve ser do mais puro e refinado cristal.

Previous Older Entries Next Newer Entries

Orixás e entidades da Umbanda e do Candomblé.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Umbanda de Caboclos, Boiadeiros, Pretos Velhos, Marinheiros e todo o seu mistério

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Ciganos, suas origens e seus mistérios.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Mestre Zé Pilintra

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Rainha Maria Padilha, Exús e Pombo Giras

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Lendas, Mistérios e Curiosidades da Religião Afro

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

%d bloggers like this: