Malandra do Cabaré

A Malandra do Cabaré nasceu na Gamboa, Zona Portuária do Rio de Janeiro. Porém ainda em sua adolescência, começou a frequentar a Lapa e em busca de diversão, começou a se misturar com os Malandros que lá frequentavam e consequentemente com eles aprendeu a jogar seu baralho e passou a conhecer os vícios do cigarro, da bebida e da prostituição.

Com o passar dos tempos, começou a se envolver com homens a troco de dinheiro e diversão e eles gostavam de sua boa companhia, pois ela era alegre, festiva, amiga, paciente, o que fazia com que as mulheres a invejasse muito, mas apesar de tudo conseguiu a amizade de uma Malandra que conhecemos como Maria Navalha.

A Lapa era sua família. Não casou, não teve filhos, não teve amores verdadeiros e apesar da grande amizade que tinha com os malandros, com o seu percurso naqueles cabarés, naquelas ruas, naqueles arcos, não resistiu e se entregou aos vícios, que acabaram prejudicando seu corpo, sua vida, sua alma. Cabaré não resistiu por muito tempo, seu corpo não aguentava mais tantos vícios e acabou morrendo.

Após a sua morte, recebeu a missão de voltar à terra para prestar a caridade e ajudar as pessoas que assim como ela, estavam passando pelos problemas dos vícios, da boêmia, dos amores e do dinheiro. Recebeu seu nome de “Malandra do Cabaré”, por ter vivido sua vida no meio da Malandragem e nos Cabarés. Hoje, ajuda a todos que a procuram e nunca ouvi dizer que ela tenha deixado alguém na mão.

Muitos a confundem com a Pombo Gira Maria Padilha do Cabaré, por sua generosidade, e elegância, mas não tem nada a ver uma com a outra.

Malandra do Cabaré gosta de ser amiga, de dar conselhos e de resolver os problemas de seus clientes. Senhora da boêmia, que levanta a todos que a procuram, pois é uma mulher guerreira, de muita fibra e que nunca se deixou abater pelas dificuldades.

A Malandra do Cabaré gosta de trabalhar com seu baralho, gosta de cravos vermelhos e brancos e tem admiração pelas rosas vermelhas. Gosta de beber sua cerveja, fumar seu cigarro com filtro vermelho, usando piteiras pequenas. Suas cores preferidas são o branco, vermelho e dourado. Suas guias possuem as cores vermelhas e brancas e sua roupa possui as cores vermelhas, douradas e brancas, sendo que na sua saia tem naipes de baralho. Usa chapéu panamá branco com uma fita vermelha. Sua comida preferida é o salaminho temperado com limão e seus pontos de força são o cabaré e a Lapa.

Abaixo, letra da música composta e gravada por Noel Rosa sob o título A Dama do Cabaré

Foi num cabaré na Lapa

Que eu conheci você

Fumando cigarro,

Entornando champanhe no seu soirée

Dançamos um samba,

Trocamos um tango por uma palestra

Só saímos de lá meia hora Depois de descer a orquestra

Em frente à porta um bom carro nos esperava

Mas você se despediu e foi pra casa a pé No outro dia lá nos Arcos eu andava

À procura da Dama do Cabaré

Eu não sei bem se chorei no momento em que lia

A carta que recebi não me lembro de quem

Você nela me dizia que quem é da boemia

Usa e abusa da diplomacia

Mas não gosta de ninguém

Foi num cabaré na Lapa…

Salve Seu Zé Pilintra, Salve todos os Malandros, Salve Malandra do Cabaré.perfume fantasy

2 comentários (+add yours?)

  1. lista de email
    Nov 12, 2012 @ 10:28:02

    Responder

  2. lilamenez
    Dez 17, 2012 @ 22:43:52

    Texto de Maria Bessem e fotos do Google Imagens.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Orixás e entidades da Umbanda e do Candomblé.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Umbanda de Caboclos, Boiadeiros, Pretos Velhos, Marinheiros e todo o seu mistério

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Ciganos, suas origens e seus mistérios.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Mestre Zé Pilintra

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Rainha Maria Padilha, Exús e Pombo Giras

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Lendas, Mistérios e Curiosidades da Religião Afro

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

%d bloggers like this: