Maria Padilha existiu.

Maria Padilha existiu. Não veio da África. Reinou em Sevilha na Espanha junto com o Rei Dom Pedro I, seu amante, que era casado com a Rainha Blanca Bourbon. Seu nome era Dom Pedro de Castela, conhecido como “o cruel”.
Corria o ano de 1340 e eles se amaram junto a Porta do Leão, monumento medieval na estrada dos Alcazares reais.
Para alguns, Maria Padilha, diaba, mulher de Lúcifer, entidade do mal. Que mulher é essa tão temida nos terreiros? Seria perigosa? Maléfica?
Vamos desmistificar um pouco de quem realmente foi esta grande mulher que existiu e viveu toda a sua vida na Espanha, na Idade Média. De uma beleza inigualável, postura e requinte de uma verdadeira dama da corte. Magia no olhar, no sorriso, no bailar. Essa mulher cheia de graça, não passava despercebida pelas praças de touros. Sua gargalhada envolvente, quando ela passava todos a desejavam, admiravam; porém todos os homens sabiam que aquela mulher tinha seu destino traçado e se contentavam apenas em admirá-la.
Conta à lenda que um dia Maria Padilha, ao passear pelas proximidades do Palácio de D. Pedro I, o cruel, imaginou como seria viver dentro do mesmo. Muito inteligente, maquinou seu plano em cada detalhe e o que deveria ser feito passo a passo até conseguir seu objetivo. Após tudo muito bem planejado, sai Maria perfumada e cheia de graciosidade, e vai se encontrar com um alquimista que lhe ensina a fazer a magia. Mesmo sabendo que D. Pedro era casado, em nenhum momento perdeu a esperança de conquistar seu objetivo; afinal ela era Maria cheia de graça, encanto e beleza, mulher vista como intocável e que somente D. Pedro poderia possuir. Após aprender a realizar feitiços e magias, manda que um de seus empregados roube o cinto usado pelo rei, o qual enfeitiçou e mandou de volta. O rei ao receber o cinto entregue por sua esposa, viu o mesmo se transformar em uma grande serpente e ficou aterrorizado há ponto de expulsar Blanca de seu palácio. Era chegada a hora de Maria Padilha concluir seu objetivo. O Rei ao vê-la ficou impressionadíssimo com sua beleza e postura de rainha, e sabia que ela saberia se por a seu lado e assumir não só seu coração, mas também todo o seu reino.
D. Pedro fez um castelo em Sevilha em estilo mouro com uma pintura sua. Castelo que existe até hoje. A Espanha naquela época tinha grande influência dos Árabes, dos judeus, mas também dos católicos e das bruxas e feiticeiras.
Conta-se que maria Padilha frequentava os sabás das bruxas espanholas dedicados a Grande Mãe, a primeira divindade da terra, desde os tempos paleolíticos.
Ao morrer D. Pedro e Padilha, as portuguesas que vieram para o Brasil, trouxeram o culto desta rainha, Sevilhana, dançadora de flamenco, bruxa, grande amante.
Ainda não havia Candomblé, nem Umbanda e estas portuguesas faziam conjuros (reza forte puxada para a Magia Negra) para o espírito de Maria Padilha e foram pegas pela Inquisição. Estas portuguesas faziam para prender os seus amados.
Maria Padilha em verdade foi branca com dentes de ouro, riquíssima, ia às touradas, as sevilhanas, aos bailes na Corte de Granada e as missas na Catedral da Virgem de Mascarenhas.
Salve Maria Padilha cheia de graça!
Costuma-se dizer que Maria Padilha é uma “Pombo Gira”, o que é contestado por muitos estudiosos da religião. A semelhança com outras Marias trata-se de espíritos que desencarnaram e continuaram aprisionados no corpo astral. Quase sempre teriam sido prostitutas, porém fortes e decididas, que não se entregaram a um gigolô qualquer. No entanto, o termo “Pombo Gira” é usado para identificar as manifestações femininas que surgem nas casas de santo durante as festas, em especial para beber, dançar e fumar.
Talvez essas Marias gostem de fazer parte da tropa de choque de Exú, misturando-se com as pombo giras, masa realidade é que muitas vezes se tratam de “eguns” e não de “encantados”. Com essas explicações, estou longe de tirar um pingo do poder das Marias, mas serviram para mostrar que elas estão muito mais próximas de nós seres comuns, do que possamos imaginar.
Maria Padilha gosta que a tratem com carinho. Adora presentes, em especial os que possam torná-la mais atraente, saias vistosas, bebidas de qualidade e jóias, muitas jóias. Sem papas na língua, Maria Padilha diz o que quer. Destemida, não se intimida jamais, sendo uma das poucas entidades que”atacam” seus médiuns, por vezes chegando a ser chamada, apenas para dançar, fumar e beber.
Já foram presenciados casos em que Maria Padilha simplesmente “chegava” em uma festa de aniversário, presença denunciada pela dança constante e o desejo de beber champanhe. Essa médium não tinha o vício do cigarro, mas fumava mais de dois maços de cigarros durante as incorporações de Maria Padilha. Ela é muito poderosa, e se o consulente obter a sua simpatia, terá em especial uma protetora incansável, em especial no amor e nas finanças.

Características de Maria Padilha:

Quando ela chega quer cigarro da melhor marca possível. Pode vir quando chamada, ou quando ela acha que é o momento. Não pode faltar pelo menos uma garrafa de champanhe. Quem pedir seus favores tem de se preparar para presentes de qualidade, roupas e jóias de preferência.
Diante da irreverência de Maria Padilha, é comum ver o médium perder completamente sua máscara de moralidade, falar palavrões e se entender de igual para igual, liberando-se de uma carga opressiva. Em casos de amor ou dinheiro, Maria Padilha, “topa” qualquer parada, mesmo nas situações consideradas pouco éticas. Maria Padilha diz sempre para seus consulentes que ela costuma fazer a sua parte, e todo o bem ou mal que eles pedirem, retornarão para aqueles que pediu (principalmente se o consulente pedir algo de muito ruim), mas cuidado com o que prometer a Maria Padilha, a ela deve cumprir, ela não é de brincadeira, é ponta de agulha, não brinque com ela.

Advertisements

1 Comentário (+add yours?)

  1. Yan Calmon
    Jul 09, 2012 @ 08:10:37

    Salve a Senhora Rainha Maria Padilha das Sete Encruzilhadas!! História linda, magnifica e muito misteriosa, ela existiu mesmo!!! Que bom saber disso, fica mais fácil de acreditar que ela estará sempre ao nosso lado contra os falsos, os mercenários, os invejosos. Obrigado dona Maria Padilha por tudo que já fizeste em minha vida, serei sempre grato à Senhora por tudo de bom na minha vida. "Maria padilha voce é a flor perfeita que vem dentro dessa seita para aqueles que tem fé, tu és rosa que perfuma a umbanda, vencedora de demandas com amor e muito axé, Maria Padilha não me deixe andar sozinho, põe a rosa sem espinho no caminho em que eu passar, Maria Padilha não me deixe andar sozinho põe a rosa sem espinho no caminho em que eu passar, Ó pombogirê, Ó pombogirá, faça um ta´pete de rosas prá que eu possa caminhar, ó pombogirê, Ó pombogirá, faça um tapete de rosas prá que eu possa caminhar"! Te amo amor, bjks

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Orixás e entidades da Umbanda e do Candomblé.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Umbanda de Caboclos, Boiadeiros, Pretos Velhos, Marinheiros e todo o seu mistério

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Ciganos, suas origens e seus mistérios.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Mestre Zé Pilintra

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Rainha Maria Padilha, Exús e Pombo Giras

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Lendas, Mistérios e Curiosidades da Religião Afro

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

%d bloggers like this: