De onde vem os filhos dos ventos?

DE ONDE VÊM OS FILHOS DOS VENTO?

“Eles se movem como o sol e a lua. São nômades. Ou, antes, são como as ondas. Estão em toda parte. Chegam e partem rápido. Parecem o vento. Num momento estão aqui, no outro, sumiram. Numa lufada, deixam traços indeléveis de sua passagem no eco de sua música, no relinchar de seus cavalos, no sorriso alegre de suas mulheres. Não, não são o vento. São os filhos do vento!”.

O texto acima faz parte de um poema escrito na Pérsia 200 a 400 anos antes de Cristo. Um povo é chamado de Filhos do Vento e a ele se refere o autor anônimo como “o povo que veio do rio!, numa alusão ao Rio Sind, no norte da Índia, na região de Gujarat.

Ali havia se estabelecido esse povo, cultivando a agricultura de forma incipiente, mas dedicando-se à criação de animais, à metalurgia, que alcançou grande desenvolvimento com o udo do cobre, metal no qual se tornaram especialistas. As lendas mais antigas, contadas boca a boca pelos anciãos da tribo, falam que o povo hoje chamado de cigano originou-se dos descendentes dos anjos caídos que se juntaram com “as filhas dos homens”, conforme descrito no Livro Apócrifo de Enoque.

Uma outra lenda, no entanto, conta que os descendentes de Hagar, a escrava de Sara, mulher de Abrão que, após te dado um filho ao seu senhor, foi humilhada e expulsa por Sara.

No deserto, Hagar encontrava-se junto a uma fonte, no caminho de Sur, quando um anjo do Senhor percebeu sua presença e interrogou-a:

- Hagar, de onde vens, serva de Sara? E para onde vais, afastando-te de tua ama e senhora?

Respondeu Hagar:
- Fujo da presença dela, que me humilhou e expulsou.
- E o que fizestes para merecer isso?
-Dei ao meu amo e senhor, um filho, por ordem dela. Agora meu filho, tanto quanto eu fui, será um escravo entre eles.
O anjo, que conhecia os planos do Senhor para com Abraão e sua descendência, aconselhou Hagar:
- Volta para a tua senhora. Humilha-te, se for preciso, pois grandes coisas estão reservadas para ti.
- A escravidão é um fardo pesado demais para mim e para os meus…
- Pois então a liberdade será a marca de tua descendência. Eu a farei tão numerosa como sementes ao vento, para que se espalhem por toda a terra e não conheçam fronteiras.
Concebeste e darás à luz um varão, a quem chamarás Ismael, porque o Senhor te acudiu na tua aflição. Ele será indomável entre os homens, e não conhecerá freio nem rédeas. Habitará entre todos os homens, mas não conhecerá fronteira. Sua passagem será como a passagem do vento.
E por isso Hagar retornou à tenda de Abraão e tudo se confirmou, conforme o anjo havia predito. Após Ismael, Hagar teve outros filhos e filhas, que por sua vez se multiplicaram, indo habitar as terras às margens do Rio.
Uma outra lenda conta que os atuais ciganos são descendentes diretos de Adão e Lilith, uma mulher anterior a Eva. Por esse motivo, os ciganos formam o único povo a não nascer com o pecado original.
Do nome original desse povo, nada mais se sabe e não existem registro nem documentos de espécie alguma para nomeá-los. Sabe-se, porém, que ao se espalharem pela Europa, foram erroneamente dados como vindos do Egito, razão pela qual foram denominados inicialmente como “egiptanos”, dando origem a “gitanos”, em espanhol, e a ciganos, em português. Em língua inglesa são conhecidos como “gypsy”, também de “egyptian”. Em francês, são chamados “egyptiens” e em húngaro “egyptener”. Isso acontece porque, em sua movimentação, um grupo de ciganos deixou a Pérsia, passou pelo Egito e dali ganhou a Europa. Essa migração iniciou-se com pequenos bandos, por volta de 1200 depois de Cristo e foi atingir seu auge no século XV.
Pelo mundo todo existiram e existem ainda diversas teorias científicas sobre a origem dos ciganos, muitas delas interessantíssimas.

 

2012 – O fim do mundo segundo os maias

2012 – O FIM DO MUNDO SEGUNDO OS MAIAS

PURA LENDA!

Gigantesca ponta de terra sobre o mar Antilhas, quase chegando a Ilha de Cuba, a Península de Iucatã compõe, juntamente com a Península de Flórida, os limites da imensa porta de entrada para o Golfo do México. Nessa região muito plana, a predominância do verde é quase total, pois sendo os rios locais praticamente em sua maioria subterrâneos, não se observa aí nem mesmo o risco claro de um deles para quebrar a monotonia da paisagem.

E seria justamente nessa Península que viria a se desenvolver uma das mais adiantadas e intrigantes civilizações do novo mundo – a dos Maias. Tendo equilíbrio, os Maias revelaram um progresso artístico em sua época de esplendor. Eram feiticeiros, magos, dançarinos e vão contar a sua história e a de seu calendário.

Não é difícil determinar a verdadeira história do povo que habitou Iucatã. Os muitos monumentos ali deixados vêm causando admiração, sem que possamos fixar nomes e datas.

É bem provável que a primeira leva de povoadores da Península tenha chegado ali em meados do século II. Esses grupos de imigrantes eram compostos de diversas raças, até que um deles denominado quiché, se impôs sobre os outros, deu unidade à nação que perdurou até poucos anos anteriores a chegada dos espanhóis, tendo sido destruída por intermináveis guerras.

A primeira vez que os espanhóis ouviram falar dos Maias foi por ocasião da quarta viagem de Cristóvão Colombo, em 1502, Os navegantes espanhóis encontraram uma grande barca e através de sinais ficaram sabendo que os tripulantes vinham de um lugar que se encontrava na direção norte.

Somente quatro anos depois Juan de Solís e Vicente Pinzón chegaram à parte pelo Golfo do México. Depois de contorná-la por algum tempo, acreditaram tratar-se de uma ilha. A partir dessa época os espanhóis empregaram várias tentativas para colonizar a Península. Nessa época também os ciganos chegaram. Vieram fugidos em perseguições e armaram seus acampamentos. Andando pelas matas a procura de alimentos, os gitanos encontraram uma peça de barro redonda, com desenhos estranhos e fizeram cópias para vendê-las. Os espanhóis compraram e ela ganhou o nome de Calendário Maia. São desenhos de bichos imaginários e feiíssimos. E ele veio à tona. Afirma-se nesse calendário que o ano do fim do mundo é 2012.

Bem, sabendo-se que foram os ciganos que venderam a peça por necessidade, sabemos então que isto é pura lenda! Não veremos o final do mundo em 2012!

Oração para o Cigano

ORAÇÃO PARA O CIGANO

Cavaleiro da noite e do dia, homem forte e corajoso, és a força de um grupo cigano, és poder. Com teu violino encantas a Lua Cheia. Com teu sapateado ajudas a Mãe-Terra a sentir teu lamento cigano e sentes na relva a energia mais profunda da natureza. Ao olhar a fogueira, decifras o que dizem as labaredas, pois é na chama do fogo que são revelados os mistérios do mundo. Cigano, és homem forte seguro do que queres. Cigano, és amor, carinho, ternura e paixão ardente. Cigano, pareces árvore frondosa de tronco grosso, a proteger-nos das falsidades desta vida terrena. Ao olhar para o infinito, possa eu sentir a tua energia. Cigano, ao olhar a chuva caindo na relva, possa eu sentir-te lavando-me das impurezas deste mundo; e ao olhar a chama de uma vela, possa eu sentir-te a dizer-me: “Estou te protegendo”.

Oração à Cigana

Oração para a Cigana

És uma linda flor que desabrocha no amanhecer és um espírito de luz. És a lua que clareia nossas mentes para que possamos dar um conselho na hora certa. És o espírito quenos dá força para superarmos todos os nossos obstáculos. És a estrela brilhante que ilumina nossas vidas neste planeta Terra. És um espírito maravilhoso que à noite vigia nossos sonhos, impedindo a aproximação de espíritos maléficos. Cigana, com tuas fitas coloridas, estás sempre transmitindo a força do arco-íris. Sempre que o aflito te invocar, possas transmitir-lhe a energia da paz, da harmonia e da consolação.Que ao olhar a chama de uma vela, possamos sentir tua presença. Que, ao tocar um cristal, possamos sentir a tua energia positiva; Que, ao sentir o aroma de violetas, possamos sentir que estás nos confortando. Cigana, cobre-nos com tua saia colorida, escondendo-nos dos invejosos e mostrando a eles que o caminho não é esse. Cigana encantada, que nesta hora possamos sentir segurança, paz e felicidade. Com teu encanto, encanta coisas boas para que os nossos caminhos não tenham obstáculos. Desencanta todas as perturbações que existam nos lares. Cigana, cura aqueles que estejam doentes de espírito, da alma, da matéria, com o poder do Pai Sol, com o poder da Mãe Terra. Nós te pedimos que nossos pedidos sejam atendidos. Por Santa Sara Kali, a padroeira dos ciganos, e por todos os espíritos ciganos que viveram e sofreram nesta terra, nesta corrente de fé Cigana.

As cores

O que as cores provocam 


O conhecimento da importância das cores pode ser de grande utilidade para quem quiser utilizar as suas Pedras de Cura de maneira correta, a cromoterapia, que busca a cura através das cores e o uso de roupas coloridas, expressando o nosso estado emocional e saúde física. 

  • Amarelo: Efeitos dos minerais amarelos: Animação – alegria de viver – alegre – cheio de esperança – ativo – aberto. 

Geral: Cor da criatividade, da inteligência e da razão. Com o amarelo, tudo é fácil, leve, alegre, ágil, aconchegante e levemente provocante. Esta cor irradia calor uniforme e transmite sensação de tranqüilidade e alegria de viver, facilitando a aproximação de pessoas desconhecidas. Ajuda-nos a superar inibições e medos. 

  • Azul-Claro: Efeitos dos minerais azul-claro: Sentimento de liberdade sem limites – iniciativa. 

Geral: 

Inspira desejo de variedade e aventura, fomenta a vontade de liberdade e iniciativa, abre o nosso horizonte e une a nossa alma ao infinito do céu. 

  • Azul-Escuro: 

Efeitos dos minerais azul-escuro: Sentimento de fidelidade – confiança – calma – tranqüilidade – organização. 

Geral: 

Cor do espírito, da maturidade e confiabilidade, autoridade, calma e paz, atua relaxando, acalmando e hipnotizando. Esta cor tem vibrações tranqüilas e nos inspira respeito. 

  • Branco: Efeitos dos minerais brancos: Sentimento de pureza – pura – clara – refrescante – futurista, espiritualidade. 

Geral: 

Dá-nos a sensação de pureza, limpeza e confiança em nossas aptidões. Também protege de decisões precipitadas. Induz à concentração e ao relaxamento. 

  • Laranja: Efeitos dos minerais laranja: Calmante e equilíbrio – cheio de vida – alegre – entusiasmado -sociável aberto. 

Geral: 

É a cor do sucesso, aquece, suaviza, fortalece e alegra. Laranja é saudável sob todos os aspectos e um cosmético que mantém o brilho da pele. Ao mesmo tempo. a cor propicia equilíbrio e tranqüilidade. 

  • Marrom: 

Efeitos dos minerais marrons: Transmite clareza – afável – sociável – prático. 

Geral: 

É a cor do relaxamento e traz clareza em situações difíceis, sociável, prático. 

  • Preto: 

Efeitos dos minerais pretos: Minerais pretos absorvem todas as luzes e são apropriados para absorver energias excedentes do corpo, bloqueios de energia. dores, pára-raio de influxos negativos, relaxante. 

Geral: Misterioso – solene, sofisticado – forte – dramático. Significa elegância, superioridade, autoconfiança. Ajuda na concentração e procura por novos caminhos, e a solucionar tarefas difíceis. Protege a aura com uma sombra que filtra qualidades negativas. 

  • Rosa: 

Efeitos dos minerais rosas: Transmite ternura – suave – acessível – não assustador. 

Geral: 

Requer meiguice e sentimentos ternos, torna a alma e o corpo receptivos para o lado bonito da vida. 

  • Vermelho: 

Efeitos dos minerais vermelhos: Amor – paixão – temperamento – otimista – consciente de si – excitante. 

Geral: 

Cor do movimento, da claridade, energia, coragem, do fogo, da excitação e paixão, mas também da guerra, destruição, agressão e do inferno. O vermelho aumenta o desejo pela atividade, o temperamento e dá energia. Confere resistência e determinação. 

  • Verde: 

Efeitos dos minerais verdes: Consciente de si – esperança – harmonioso – neutralizante – superior – confiável. 

Geral: 

Cor da vida, do crescimento, da compensação e harmonia. A ação do verde acalma, relaxa, tranqüiliza e regenera. Produz sensação de frescor e ajuda a relaxar e a se acalmar após situações de estresse. 

  • Violeta: 

Efeitos dos minerais violetas: Propriedades limpantes e libertadoras, aumenta o funcionamento do cérebro, misticismo e espiritualidade – cheio de imaginação – sensível – intuitivo – criativo – abnegado. 

Geral: 

Cor do poder e do distanciamento, atua hipnoticamente, amortece e provoca a sensação de leveza corporal. Estimula a mente, aguça os sentidos para a percepção da beleza e fortalece a compreensão, deixando a mente divagar em direção a outras distâncias e dimensões desconhecidas. 

Banhos com Cristais

Banhos com cristais


Coloque cristais na banheira ou num recipiente com água que será jogada no corpo após o banho de chuveiro.
Cristais brancos – captam energia cósmica, proporcionando tranqüilidade, paz e harmonia.
Quartzos Rosas – Despertam o afeto puro, trazem paz e tranqüilidade.
Quartzos Verdes – Cuidam da saúde física e emocional.
Esmeraldas – Prosperidade aumenta os poderes mentais e a sensitividade.
Âmbar – Embora não seja uma pedra, e sim uma resina vegetal, o âmbar é protetor e poderoso contra magia. Realça a beleza e a atração em geral.
Citrino – Evita pesadelos
Pedra-da-Lua – Numa noite de lua cheia, atrai o amor. Pode ser misturada a um pedaço de âmbar e/ou pétalas de rosas vermelhas.
Rodocrosita – Reconforta, retira as tensões, atrai o amor, proporciona um sono calmo e relaxante.
Hawlita branca – Revigora depois de um dia exaustivo de trabalho.
Ametista – Acalma os medos, protege contra assaltos, aumenta a esperança, afasta vícios, desenvolve o chakra frontal.

Elemento Água

Elemento Água

Falando agora sobre os elementos passivos, falaremos da ÁGUA. Assim como a terra, o corpo humano é composto de 70% de água, o que demonstra a importância vital deste elemento. A água pode ser simbolizada pela alma ou pela emoção, o que faz o elemento da sensibilidade fazendo com que a água seja a própria vitalidade. Quando em harmonia ela é harmonizadora do corpo, da alma, acalma as emoções e traz o conforto para a alma. Pode ser uma grande devastadora se se sentir agredida ou em desarmonia. A água simboliza renovação, o recomeço de uma nova vida, enfim a própria compreensão já que até os fetos são envolvidos em suas placentas dentro de bolsas d”água até originarem novas vidas. Este elemento aparece sempre em magias para absorver as negatividades e impurezas que estejam no ar, ou no nosso corpo. Dentro dos rituais ciganos são utilizadas águas de vários caminhos naturais diferentes: da cachoeira, do mar, do lago, da lagoa, da chuva, do rio, da nascente, dependendo do ritual que esteja acontecendo, as fases lunares são muito importantes. Nas fases de lua minguante, nova, crescente cheia, é a parte mais importante para sua colheita, onde dependendo da lua, nós conseguimos um certo nível energético nacional para que a água seja usada:
Lua Cheia traz amor para a sua vida.
Lua Nova para que haja recomeço.
Lua Minguante para que acabe as doenças, as negatividades de uma fase difícil da vida daquela pessoa que está fazendo o ritual e todos os seus participantes.
Lua Crescente faz com que as pessoas cresçam não somente na vida, como seu interior, como seu psicológico, como desenvolvendo a espiritualidade.
Então observem como é importante ao culto, a reverência ao elemento água dentro do culto cigano. A água representa o interior feminino, representa o lado feminino que todo ser humano tem e tem que ser muito cultuado para que as emoções estejam em equilíbrio porque somente as emoções equilibradas, o ser humano consegue transcender a sua própria essência.

Elemento Terra

Elemento Terra

O elemento Terra é detentor de grande poder de ancestralidade e grande purificador do nosso corpo e da nossa alma. O elemento terra é responsável pela conexão entre o espírito ancestral e a transformação da vida. Para o culto cigano a terra é considerada um portal onde são depositadas oferendas, flores, frutas, cereais, condimentos, para que os espíritos possam trazer vida longa e felicidade, já que para os ciganos, os seus mortos, seus ancestrais continuam vivos e tem a função de velarem e proteger os seus que ficaram vivos. O elemento terra é auxiliado pelo elemento água sendo os dois de polaridade passiva. Podem ainda ser o grande responsável pela produção alimentar do mundo, pois quando fértil a terra é capaz de produzir todos os tipos de alimentos tais como frutas, cereais, legumes, verduras, etc. No culto cigano, a cada cereal que germina significa que os ancestrais ouviram e atenderam os nossos pedidos. O elemento terra é para obtermos prosperidade, assim como também podemos fazer grandes rituais e purificação do nosso corpo.

Elemento Ar

Elemento Ar

O elemento ARque é um dos elementos principais dentro da ritualística cigana e que vem a ser um dos elementos ativos, como temos o fogo e o ar. A Ar é física e energeticamente um dos elementos principais, porque nós estamos ligados através da respiração ao ar. Ele é um elemento coletivo e está ao mesmo tempo interligado aos quatro elementos, porque ele é o fundamental, estando presente na terra através da evaporação de todos os elementos líquidos e sólidos da terra, nós temos a presença do ar. Quando na água é feita a evaporação de gases e até mesmo da própria água, nós temos também representado o elemento ar.
Temos através do fogo, da sua transmutação, a representação do elemento ar; então ele é indispensável e presente em todos os outros três elementos. É indispensável, porque podemos ficar alguns dias sem beber água, sem comer, e sem o elemento ar não agüentamos mais que alguns minutos, então ele é de suma importância para que possamos fazer invocação de todo e qualquer ritual da abertura de qualquer portal para rituais na cultura cigana. Dentro do culto ele é representado principalmente pelos incensos que são suas fumaças energéticas que podem limpar e afastar malefícios, mal-espíritos. Os incensos além de condutores de bom aroma são essenciais para cerimônias e rituais, já que a fumaça em si representa abstratamente a transmutação da matéria e o espírito. O elemento ar dentro da cultura cigana representa o próprio espírito, a própria presença do espírito cigano com sua evolução ao plano espiritual superior, além de serem utilizados em rituais intensamente em todos os tempos em tendas e casas espirituais ciganas. É fundamental que sejam mantidos acesos em altares e oferendas. Os incensos não são somente representantes de ar dentro da cultura cigana, através da evaporação de alguns gases da própria terra, através da evaporação da água você tem ali representado o ar em todos os outros. Por isso geralmente ele é o 1o. elemento a ser cultuado e é representado em todos os outros em qualquer ritualística feita.

Elemento Fogo

 

Elemento Fogo

 
Os Ciganos acreditam que o FOGO queima a negatividade e ilumina a positividade. A vela, para eles concentra as energias dos quatro elementos. A água e a terra são representadas pela cera e o pavio. O fogo é a chama e o Ar (oxigênio) a mantém viva (acesa). Esses elementos são divididos em ativos e passivos, sendo o fogo e o ar elementos ativos e água e terra elementos passivos.

O fogo é um elemento poderosíssimo dentro da cultura cigana e grande poder energético e habilidosamente rápido para estancar influências negativas. O fogo é responsável pelo processo de limpeza rápida dentro do culto. O grande poder do fogo é indicado em vários rituais de limpeza e é por isso que para os ciganos é fundamental a presença do seu calor ou das suas chamas em ritos ou em suas comemorações devido ao seu alto poder de purificar, contudo é ao mesmo tempo extremamente perigoso não sendo manuseados por pessoas que não tenham preparo ritualístico dentro do culto cigano. O ritual do fogo ou fogueira cigana é uma função de iniciados, onde as mulheres dançam a sua volta reverenciando e invocando seus ancestrais, pedindo esperança, confiança, vida longa, enfim que os maus espíritos não consigam se aproximar. Ao fazerem movimentos com suas danças, as mulheres movem o ar que abanam as chamas do fogo alimentando-as e mantendo-as bem acesas, renovando assim todos os bons pedidos. Este é um ato apesar de litúrgico principal dentro da cultura cigana, o ritual da fogueira, o fogo é sempre reverenciado em rituais desde o nascimento ao casamento, desde o batismo ao falecimento. O ar sem o qual as chamas não se mantém vivas é o fogo energético.

Usos e Costumes dos Ciganos

USOS E COSTUMES DOS CIGANOS

Ao longo do tempo, após sua chegada à Europa, os ciganos foram acusados de toda espécie de crime pelas populações sedentárias, que não entendiam como um povo poderia viver com tanta liberdade, sem apego a uma terra determinada. Além disso, da admiração inicial, fomentada, principalmente pelos líderes religiosos, iniciando-se pelo Arcebispo de Paris, quem primeiro ligou os ciganos à bruxaria, os ciganos passaram a ser vistos como verdadeiros inimigos da fé cristã, que contra eles lançou um processo sistemático de perseguição e destruição. As lendas que ligam os ciganos aos sofrimentos da Sagrada Família, da morte das crianças em Belém, da traição de Judas e do roubo do quarto cravo foram criadas com o fim específico de jogar contra esse povo a ira cristã, já que essas lendas não resistem à mais superficial análise histórica, tratada com a seriedade com que foi elaborada a pesquisa linguística que determinou a origem desse povo. Assim, além dessas lendas infames e destinadas a desacreditar os ciganos, outras acusações foram sendo acrescentadas. Bruxaria, feitiçaria, canibalismo e outras barbaridades foram atribuídas aos ciganos, enquanto eram sistemática e metodicamente perseguidos. Esse comportamento ainda hoje persiste. Os ciganos ainda são relacionados a tudo de ruim que possa acontecer numa comunidade e sua chegada muitas vezes é motivo de reações até violentas da parte de cidadãos menos esclarecidos. Associam-nos ainda a roubos, desastres naturais, como ventanias e tempestades, além de toda sorte de trapaças e falsificações. Na raiz de tudo isso encontra-se o fato inegável de que ciganos e gadjos têm modos diferentes de encarar a vida. A ignorância é a principal causa desse tratamento dispensado pelos sedentários aos ciganos, pois não conseguem compreender esse estilo de vida.

Preconceitos Contra os Ciganos

É fácil entender, dessa forma, todo o processo de formação desses preconceitos contra os ciganos. Em sua maioria, as pessoas imaginam que, em função do nomadismo e do sentido de liberdade, os ciganos tenham costumes dissolutos, que podem chocar as pessoas de costumes mais rígidos. Nada existe de mais falso em relação a esse povo, onde a mulher é extremamente 

pudica e tradicional. Para exemplificar melhor ainda, basta verificar que a prostituição é 
praticamente inexistente entre os ciganos. O adultério é condenado e execrado e a virtude 

é sempre exaltada. Os valores morais mantêm-se rígidos e cultivados como um aspecto 
cultural próprio desse povo.

 

Outro aspecto típico dos ciganos que é mal interpretado pelos gadjos refere-se à 

maneira como vestem, embora isso seja muito diversificado entre os ciganos.

 

Nos Estados Unidos, são chamados de Povo que se Veste de Vermelho, dada à predileção das tribos daquele país por essa cor. 

 

Alguns ciganos não se importam de se vestir com andrajos, sem, no entanto, dispensar 

os enfeites comuns e vistosos, próprios de sua tradição. Sentem-se à vontade dessa forma 
e pouca importância dão a uma roupa nova. 
Quando, no entanto, trata-se de uma cerimônia tradicional ou de uma grande festa, 
jamais abrem mão de seus trajes completos, cheios de cores, com enfeites, principalmente 
as mulheres. Usarão, nessas ocasiões, lenços coloridos nos cabelos, coletes ricamente 
bordados e enfeitados com pedrarias. As saias e as blusas serão sempre em tecidos 
brilhantes, esbanjando cores mas formando um conjunto harmonioso que dá ao grupo 
reunido o aspecto de um campo florido.

 

Jamais dispensarão suas jóias, sejam de ouro ou apenas bijuterias, pois o objetivo é 

apenas enfeitar-se e não demonstrar riqueza ou aparentar ostentação, no que se 
diferenciam dos demais povos, que vê no luxo e na demonstração de riqueza quase que 
uma necessidade social.

 

Para o cigano, acumular riquezas é algo impensável, pois isso fatalmente acabaria por 

fixá-lo ou prendê-lo a um lugar, coisa que abomina, em seu desejo de liberdade e 
movimentação contínua. 

 

Quanto à falta de higiene de quem são acusados os ciganos, trata-se também de outra 

falsidade ou má interpretação. Nas estradas, quando há água, o cigano mantém-se limpo. 
Sua falta, no entanto, não o impede de seguir em frente. Ele apenas convive com o 
problema passageiro. 
As críticas, no entanto, tentem normalmente a mascarar uma outra realidade, a dos 
sedentários miseráveis, sem condições de saneamento básico e de moradia digna, que 
abundam por todo o planeta. Cada país têm seus problemas nessa área e deveria ater-se a 
solucioná-los. As populações do mundo sempre acharam conveniente desviar a atenção de 
seus problemas reais, concentrando-se em subterfúgios com que tentam aplacar suas 
consciências pesadas. 

 

Durante a Inquisição ou mesmo na Segunda Guerra mundial, o genocídio de ciganos foi 

aceito porque pintava-se sobre eles e suas crenças um quadro negro, destinado justamente 
a provocar a ira daqueles que, passivamente, assistiam a tudo aquilo. Suas consciências 
ficavam preservadas com as mentiras e falsidades levantadas. 

 

Naquele tempo, como agora, o objetivo dos preconceitos sempre foi o mesmo: desviar a 

atenção das pessoas dos reais problemas de sua sociedade sedentária, acusando 
gratuitamente uma cultura que não aceitam apenas porque não conseguem ou não querem 
entender.
 

A Origem do Preconceito

 
Já afirmamos que os valores defendidos pelos ciganos são totalmente diferentes 
daqueles defendidos pelos demais povos, ou gadjos, o que provoca um natural conflito entre as duas culturas. Os gadjos vivem em função do passado e do futuro. Cultivam o que se foi e preparam-se para o futuro, amealhando bens e riquezas, planejando os dias que ainda virão, numa visão idealista de que o futuro poderá ser melhor, como se pudessem construí-lo. A fatalidade é algo muito forte entre os ciganos. Cultivar o passado só se justifica enquanto maneira de manter usos, costumes e preservar valores. Preparar-se para o futuro significa abrir mão de viver o presente e o cigano tem por lema que a vida se vive apenas no presente. O futuro é incerto. A morte repentina, a que todos estão sujeitos, pode jogar por terra todo um futuro brilhante e pacientemente construído. Ao fazer isso, o indivíduo não viveu seus dias. Preparou-se para um futuro que jamais chegará.
Para os ciganos, a velhice é uma conseqüência de se ter vivido um dia após o outro, aproveitando-os ao máximo. Por esse motivo, o dinheiro, para os ciganos, tem um valor enquanto atende suas necessidades imediatas. É um instrumento para chegar ao que precisa para viver seu dia a dia. Ele não deseja bens ou riquezas, porque, como já se disse, significariam o fim de sua liberdade.
Nesse aspecto, diferenciam enormemente dos gadjos, que vivem em função do dinheiro. Observar os ciganos, em sua vida simples e alegre, preocupados apenas com o sustento daquele dia e não dos próximos, é algo que não é digerido pelos gadjos, que não entendem que alguém possa viver sem ser escravizado pelo vil metal.
Um dos hábitos dos ciganos que muito incomoda os gadjos, principalmente no interior, quando da passagem de uma caravana, é o fato dos viajantes apanharem frutas ou caçarem animais para sua refeição. Para os fazendeiros, isso é chamado roubo. Para os ciganos, isso é apenas aceitar o que a natureza oferece ao homem. Os frutos e os animais são, de direito, daqueles que deles têm necessidade. Essa lógica simples para os ciganos não é aceita e, mas combatida e hostilizada. Isso chega ao cúmulo de, antecipando-se à passagem de uma caravana cigana, fazendeiros mandarem pulverizar com veneno as plantações para que os ciganos delas não pudessem fazer isso. 
Como um povo livre, o cigano encara tudo com praticidade, ao mesmo tempo que se interessa pelas coisas práticas. Um exemplo disso é a maneira como hoje está se disseminando entre eles o uso de trailers para viagens.  Neles encontram todo o conforto necessário, podendo, inclusive, deslocar-se com maior rapidez e vencer distâncias que, antes, eram impossíveis com seus velhos e coloridos carroções. Com isso, perde-se uma longa tradição de conhecimentos e prática no trato e no treinamento de animais, atividade em que sempre se distinguiram. 
Nos encontros que promovem ainda, em determinados locais do mundo, as velhas carroças cedem lugar gradativamente aos modernos veículos motorizados, sendo postas à venda. Com isso, um importante aspecto da arte e da cultura cigana, onde se retratava com habilidade e beleza a delicadeza e a imaginação de seus decoradores, está em processo de extinção. Os modernos trailers recebem pintura especial e cores tradicionais, mas não permitem a expressão de todo o talento artístico de um entalhe feito na madeira ou no metal, aplicado ao antigo meio de locomoção.
Segue-se uma praxe dos ciganos, de viverem o presente do modo mais prático possível, assimilando com naturalidade as características de seu tempo e das culturas dos povos por onde passam. Reflete também uma outra característica do espírito cigano: a da versatilidade. Se vendiam cavalos antigamente, porque deles se utilizavam, conhecendo-os profundamente, com certeza passarão a comercializar veículos motorizados. Sua inteligência privilegiada lhe dá meios de passar de uma para outra atividade com absoluta naturalidade.
Uma característica comum a todos os ciganos é sua natural inclinação para tudo que é fantástico ou maravilhoso. A origem disso remonta a suas origens, na antiga Índia, de onde trouxeram conhecimentos astrológicos que se completaram na Pérsia e no Egito. Em suas andanças, incorporaram toda sorte de crenças, não se fixando a uma religião determinada, mas assimilando ingredientes de todas elas. Foram associados as lendas dos lobisomens da Alemanha medieval, os morcegos-humanos que habitavam os Montes Cárpatos, as bruxas que agiam no interior da Inglaterra e da França, os montadores de bode, que agiam nos Países Baixos, os invocadores do demônio da Floresta Negra, os druidas da Grã-Bretanha, os fantasmas dos velhos castelos da Escócia, monstros fantásticos como os do Lago Ness e toda sorte de entes, duendes, gnomos e outros que povoam a imaginação das diferentes culturas por 
onde passaram.
Em todas as narrativas desses acontecimentos fantásticos, principalmente naqueles ocorridos durante o período mais negro da Inquisição, vamos encontrar relatos de grupos de ciganos perseguidos e mortos, acusados da prática de uma dessas lendas. 
Em fins do século XVII, com o domínio turco da Europa Oriental, conta-se que um grupo de ciganos fugiu para os países do ocidente da Europa, espalhando o terror. Pertenciam a uma seita até hoje não devidamente esclarecida, chamada de Montadores de Bodes. Caracterizavam-se pelo terror que espalhavam, praticando os crimes mais hediondos, principalmente contra jovens virgens e crianças recém-nascidas. Segundo a lenda, eram acompanhados de demônios, que se encarregavam de arrebanhar as almas das vítimas desses ataques sanguinários e cruéis. Muitos ciganos foram presos, torturados e condenados à forca e à fogueira por esses crimes, já que, além de assassinos e de terem pacto com o demônio, aqueles ciganos, segundo seus acusadores, abjuravam Jesus Cristo e a religião.
As informações contidas nos processos que foram lavrados na época detalham, 
inclusive, a maneira como esses bandos eram constituídos e até como um novo membro passava a fazer parte, num ritual de iniciação verdadeiramente escabroso. Além de quebrar uma imagem de Cristo e de urinar e cuspir sobre ela, ingeriam hóstias consagradas com vinho e sangue de virgens e crianças. 
Além disso, comiam uma espécie de bolo, feito de carne humana, sangue, vísceras de um recém-nascido e hóstias. 
Para se locomoverem, montavam em bodes, que os levavam a qualquer parte, para cometerem suas atrocidades. Vale dizer que todos esses relatos foram feitos por testemunhas que não precisavam se identificar e que a confirmação era arrancada através de métodos abomináveis de tortura. O que ocorreu, na realidade, é que, coincidindo com a fuga de ciganos do domínio turco, bandidos e desertores de toda sorte invadiram igualmente a Europa Ocidental, roubando, estuprando e matando, praticando toda sorte de crimes possíveis. Se já não viam com bons olhos os ciganos, ligá-los a essas fantasias foi algo muito fácil para os religiosos da época. As lendas que contam e em que acreditam não foram necessariamente vividas por eles, mas naturalmente assimiladas quando de sua movimentação pelos países onde elas se originaram. 

Cartomancia/Baralho Cigano

CARTOMANCIA/BARALHO CIGANO

Quando Marie-Anne Adelaide Lenormand criou as cartas do Baralho Cigano não poderia imaginar que hoje em pleno século XXI seria tão divulgado e estudado, principalmente aqui no Brasil.
O baralho cigano tem muito mais magias escondidas, dentro dele, que podemos imaginar, é desvendar o oculto e os mistérios da vida, no seu presente, passado e futuro.

Cada carta, ou cada lâmina (porque são oriundas do Tarot), trazem contidas em cada uma, em cada desenho, figura, uma representação especial mágica e misteriosa, não são simplesmente uma âncora ou um cão, vão além de nossa imaginação.
Refletindo profundamente recebemos várias mensagens, não é simplesmente, uma forma de ganhar dinheiro, mas de modificar o íntimo mais profundo do ser humano, trazer novas possibilidades, caminhos, saídas, formas excepcionais de modificar o futuro e até mesmo de entender melhor os acontecimentos da vida e procurar, através delas, retirar todos os infortúnios e desavenças dos nossos caminhos.
Descobrir essas mensagens inquietantes que nos levam a acreditar que há algo mais, além de nossas expectativas sobre o nosso futuro e que podemos equilibra-lo, da melhor forma, para que possamos ter uma vida plena de saúde, paz e prosperidade, é como um dever, para aquele que tem a sua cigana ou seu cigano, amigos incontestáveis e inseparáveis dos nossos caminhos, que nos dão tanto sem cobrar nada em troca.
Deixe que a magia cigana entranhe em seu “eu” e sinta e deslumbre as maravilhas do Baralho Cigano, sua poesia, arte, geomancia, magia, sua inconfundível forma de nos transformar em seres maravilhosos para o terceiro milênio.
A cartomancia é um dos costumes ciganos mais conhecidos, afinal muitas pessoas recorrem a este povo para saber o futuro pelas cartas. De acordo com a tradição, o Baralho Cigano só poderia ser lido por mulheres, pois traz em seu interior a energia da lua (o oculto), tendo a luz da vidência, o dom de sentir, pressentir e interpretar.
Para a leitura das cartas, as ciganas utilizam um baralho comum, desses usados para jogos de azar, retirando o curinga e as cartas que vão do dois ao cinco, restando trinta e seis cartas que são utilizadas para a leitura.

O povo cigano associou a essas cartas algumas figuras do simbolismo esotérico cujo significado verá mais adiante. As correspondências entre as cartas comuns e as figuras acontecem de modo natural para os ciganos, porém para os não ciganos torna-se um tanto difícil fazer essa associação, felizmente existe no mercado versões do baralho com as figuras impressas o que facilita muito o aprendizado e sua interpretação.

O Baralho Cigano é composto por 36 cartas onde a simbologia das figuras é que traduzem a idéia do que se quer saber.
Existem vários modelos de baralhos, porém apesar de algumas diferenças, tais como alguns trazem naipes, outros não, porém todos têm em suas cartas o mesmo significado.
O jogo do baralho cigano consiste na interpretação de seus elementos e nas mandalas formadas para a leitura, é um jogo que permite traduzir em palavras o mundo astral que existe a nossa volta.
A função do baralho não é de solucionar os nossos problemas, mas nos ajudar a conhecê-los e tentar nos mostrar o caminho que devemos tomar. As cartas nos falam pelo significado que elas contêm e pelas associações e unidas umas com as outras de acordo com a mandala escolhida.

Quiromancia (Seu destino em suas mãos)

QUIROMANCIA (Seu destino em suas mãos)

Alguns supõem que surgiu na Mesopotâmia, porém há relatos de mais de cinco mil anos na Índia, onde esta prática era privilégio dos sacerdotes. Podemos diferenciar Quiromancia (arte divinatória) de Quirologia (ciência).
As primeiras referências às mãos como indicativo para o conhecimento do homem e de seu futuro remontam a própria história da escrita. O mesmo ocorre com o estudo de outros sinais como fonte de pesquisa da personalidade e de adivinhação do futuro. Os hindus há 300 ac, desenvolveram  a samudrika shasta, um tratado que procurava conhecer o homem levando-se em conta a análise da testa, do rosto e dos pés. Ao mesmo tempo na china os místicos liam e interpretavam as mãos procurando nelas uma fonte de bons augúrios. A Bíblia sagrada registra em algumas passagens fortes referências às mãos, como o espelho do homem. Em Jó, capítulo 37, versículo 7, Deus é visto como aquele que “sela as mãos de todo o homem para que conheçam todos os homens e sua obra”.
O termo Kirosophia (Kiro=mão, shophia=sabedoria) foi, o primeiro utilizado pelos gregos mais especificamente por Aristóteles que legou ao futuro uma obra fundamental (Quiromancia Ilustrada de Aristóteles) hoje guardada no British Museum de Londres.
Este trabalho tornou-se valioso. Na Alemanha em 1475 foi publicado “A arte da adivinhação pelas mãos” outra obra fundamental para a evolução dos estudos da Quiromancia que naquele país, em 1600 foi adotada como matéria curricular nas universidades. Mas recentemente, Howard Thompson, um americano de incontestável espírito cientifico e pesquisador talentoso, escreveu seu “Tratado de Quiromancia”, colocando a arte de predizer o futuro pelas linhas e sinais das mãos em seu definitivo posto de importância.
Os ciganos podem se considerar quiromantes, pois durante uma consulta, vêem além do que está escrito nas mãos do consulente. Associam a leitura das mãos com a vidência e a clariaudiência, já que nossos ancestrais nos dizem coisas que o consulente deve ou não ouvir. E também as próprias entidades que acompanham a pessoa nos revelem fatos de sua vida. Já os quirólogos, revelam apenas o que está nas mãos das pessoas, através do formato, tamanho, temperatura, cor, tamanho e formato dos dedos e unhas, montes, linhas, sinais, etc.
O estudo das mãos é algo complexo e muito interessante, já que nos permite um autoconhecimento, ajudando em nossa caminhada evolutiva, além de nos mostrar melhores caminhos a seguir, que decisões tomar e momentos mais favoráveis para determinadas ações.
Através do conhecimento de suas mãos, a pessoa pode tirar inúmeras dúvidas, pois estas revelam com absoluta precisão, seu temperamento, que carreira profissional é mais adequada, que virtudes deve preservar, bem como quais defeitos devem trabalhar para que não venha a trilhar caminhos dolorosos e a prejudicar-se a si mesmo.
Tudo isso e muito mais é revelado durante uma consulta. Além é claro, da espiritualidade do consulente. Numa consulta feita com um quiromante cigano, muito mais coisas são reveladas.
Não estou aqui desmerecendo o trabalho dos quirólogos, mas como já citei, os ciganos associam Quirologia, clarividência e clariaudiência. Muitos aprendem a conviver com ela desde criança de forma harmônica e equilibrada para evoluir e ajudar aos semelhantes, pois é essa troca que permite um crescimento mútuo entre os seres. O que também diferencia o trabalho é o ambiente onde atendemos nossos clientes, onde há todo um preparo espiritual para que as energias negativas sejam neutralizadas. Isto sem falar na magia que é usada durante a própria consulta para cortar fatos ruins que se vê nas mãos do consulente ou que sente em sua energia.
Também usamos magia associada a orientação para que as pessoas alcance com mais rapidez e facilidade o que vemos de bom e positivo para ela. Enfim, trata-se de um trabalho sério, de responsabilidade e respeito ao ser humano, onde a melhor parte, é saber que tudo pode ser modificado, já que somos dotados de livre-arbítrio.
Um fato curioso e desconhecido pelas pessoas, é que as mãos mudam de acordo com a mudança interior da pessoa. Já vi livros e revistas onde os autores diziam que para isso ocorrer, seria preciso mais ou menos dois anos. Porém já pude comprovar mudanças em semanas. Partindo do princípio que a mente molda a matéria, uma reforma interior pode modificar as mãos em curto período de tempo. Isso já ocorreu com pessoas que conheço e inclusive comigo mesma. Outra grande vantagem do estudo das mãos, é que passamos, a saber, como são os que nos cercam. Como sentem, agem e o que podemos esperar de tais pessoas. Simplesmente observando as mãos de uma pessoa com quem convivemos ou até mesmo de uma pessoa estranha, podemos conhecer toda sua natureza. Isto é importante para negociar, fazer amizades, iniciar um relacionamento amoroso, pois passamos a perceber melhor o outro e a entendê-lo.
A Quirologia não é propriedade dos ciganos, mas uma ciência que todos podem aprender. A clarividência, porém, é algo nato. Não se aprende em cursos. Um quirólogo não tem o dom de revelar certas coisas espirituais nem descrever pessoas, etc. Afinal, se seu futuro amor possui olhos azuis ou castanhos, com certeza não está escrito em suas mãos. Já um quiromante, pode revelar coisas do mundo astral, descrever pessoas, lugares, situações, etc.
Todo quiromante é também um quirólogo, mas nem todo quirólogo é um quiromante.
Mas o mais maravilhoso nesta arte milenar, passada de geração em geração entre os ciganos, é saber que o destino está em nossas mãos e sendo assim, podemos criar a vida que sempre desejamos. As mãos humanas são apaixonantes. São divididas em 7.
Esse é o número do encantamento. Um número forte. Um número definitivo. São elas: mão básica, mão quadrada, mão espatulada, mão filosófica, mão artística, mão psíquica e finalmente a mão mista.

A Lua, Os talismãs

A LUA

Para o Povo Cigano, a Lua Cheia é o maior elo de ligação com o “sagrado”, quando são realizados mensalmente os grandes festivais de consagração, imantação e reverenciação à grande “madrinha”. As celebrações da Lua Cheia acontecem todos os meses em torno das fogueiras acesas, do vinho e das comidas, com danças e orações. Também para os Ciganos tudo é vida, é “maktub”  (está escrito nas estrelas), por isso são atentos observadores do céu e verdadeiros adoradores dos astros e dos sidéreos. Os ciganos praticam a Astrologia da Mãe Terra respeitando e festejando seus ciclos naturais através dos quais desenvolvem poderes verdadeiramente mágicos.
Para os Ciganos no plano mental a lua representa nosso inconsciente e as nossas emoções. Cada uma destas fases influencia nossa sensibilidade, nossa disposição e, portanto nossas atividades. As fases da lua são muito importantes na magia cigana, como em qualquer outra magia, portanto devemos respeitar as forças da natureza.
·        Lua Nova – é o momento da germinação, na busca de novos caminhos. Ficamos mais introspectivos e indecisos. Não é um bom momento para tomarmos decisões. É a época de deixarmos amadurecer nossos propósitos e ideais.
·        Lua Crescente – nossas idéias e emoções tornam-se pouco a pouco, mais claras. Ficamos mais objetivos. É o momento de colocarmos em prática o que planejamos. Tornamo-nos mais sociáveis.
·        Lua Cheia – simboliza a plenitude. Ficamos mais receptivos.Nosso inconsciente aflora mais facilmente. Tudo que planejamos chega ao seu nível máximo de potencialidade.
·        Lua Minguante – este é o período de avaliação daquilo que foi feito. É o momento de terminar tudo que foi iniciado nos ciclos anteriores. Ficamos extremamente sensíveis.
  

A CULINÁRIA

Na culinária cigana são indispensáveis: o cravo, a canela, o louro, o manjericão, o gengibre, os frutos do mar, as frutas cítricas e as frutas secas, o vinho, o mel, as maçãs, as peras, os damascos, as ameixas e as uvas que fazem parte inclusive dos segredos de uma cozinha deveras afrodisíaca.
  

AS FERRAMENTAS

O punhal, o violino, o pandeiro, o leque, o xale, as medalhas e as fitas coloridas; o coral, o âmbar, o ônix, o abalone, a concha marinha (Vieira), o hipocampo (cavalo-marinho), a coruja (mocho), o cavalo, o cachorro, o galo e o lobo são símbolos sagrados para o Povo Cigano.

A verbena, a sálvia, o ópio, o sândalo e algumas resinas extraídas das cascas das árvores sagradas são ingredientes indispensáveis na manufatura caseira de incensos, velas e sais de banho, mesclados com essências de aromas inebriantes e simplesmente usados nas abluções do dia-a-dia, nos contatos sociais e comerciais, nos encontros amorosos e principalmente nos ritos iniciáticos, de forma sensível e absolutamente mágica, conferindo grandes poderes.

O grande símbolo geométrico do Povo Cigano é o Círculo Raiado (representando a roda da carroça que gira pelas estradas da vida) provando a não linearidade do tempo e do espaço; e o Pentagrama (estrela de 5 pontas) simbolizando o Homem Integral (de braços e pernas abertos) interagindo em perfeita harmonia com a plenitude da existência. O maior axioma do Povo Cigano diz simplesmente: “A sabedoria é como uma flor, de onde a abelha faz o mel e a aranha faz o veneno, cada um de acordo com a sua própria natureza”.
  
O IDIOMA
 
Uma das maneiras de os ciganos se manterem unidos, vivos, com suas tradições preservadas é o idioma universalmente falado por eles, o Romani ou Rumanez, que é uma linguagem própria e exclusiva.
É expressamente proibido ensinar o Romani para os não-ciganos; e os ciganos fiéis às tradições, que rezam sua origem, seus irmãos de raça, que são verdadeiros ciganos, sabem disto. Portanto, quando alguém que se diz cigano quiser ensinar o Romani, geralmente as custas de dinheiro, ou então passar  segredos e as íntimas particularidades da vida cigana é bom ter cuidado, pois com certeza, ele ou ela não é um autêntico cigano, obediente aos preceitos e princípios de seu povo. Ele poderá ser até cigano de origem, mas não será mais um cigano de alma e coração capaz de manter a honradez de seus antepassados e contemporâneos autênticos.
A TRANSMISSÃO ORAL DOS ENSINAMENTOS

O Romani é uma língua ágrafa, ou seja, uma língua ou idioma sem forma escrita. Portanto, para sua perpetuação o Romani conta somente com a transmissão oral de uma geração para outra, de pai para filho. Não existem livros ensinando uma linguagem, que não tem sequer uma apresentação gráfica definida, pois se os ciganos tivessem se originado na Índia teríamos os caracteres sânscritos, mas como encontramos ciganos em quase todas as partes do mundo, o Romani poderia ter os caracteres da escrita russa, ou egípcia, latina, grega, árabe ou outra qualquer. Assim como o idioma, todos os demais ensinamentos e conhecimentos da cultura e tradição ciganas dependem exclusivamente da transmissão oral. Os mais velhos ensinam aos mais jovens e às crianças os conhecimentos do passado, o pensamento e a maneira de viver herdado dos ancestrais.

  

OS TALISMÃS

A força existente em um talismã envolve principalmente as energias inconscientes que projetamos nele. O talismã funciona como sendo um ponto focal dessas energias. Para muitos de nós, nossos desejos precisam de um objeto concreto para que se manifestem. Se você acredita que um Talismã irá ajudá-lo, ele realmente poderá ajudar você a alcançar seus objetivos. Entretanto, e por este mesmo motivo, você deve, acima de tudo, acreditar em sua capacidade de agir sobre o mundo que o cerca.

Talismãs mais conhecidos e usados:
Rosa – favorece as paixões e traz prosperidade.
Coração – protege a vida afetiva.
Borboleta – harmonia conjugal. Bom relacionamento doméstico. Vida, morte e ressurreição.
Gato – harmonia, felicidade.
Lua Crescente – sorte no amor
Tartaruga – Longevidade
Âncora – estabilidade
Olho – proteção contra o mal.
Ferradura – boa sorte, dinheiro, prosperidade.
Chave – favorece todas as situações que envolvam mudanças.
Pentagrama – representa o domínio da razão sobre a emoção.
Figa – afasta o mau olhado.
Ouroboros – (a serpente que morde a própria cauda): traz equilíbrio, força e determinação.
Trevo de 4 folhas – traz boa sorte, felicidade e fortuna.
Pomba – símbolo da paz, está associado às deusas-mãe. Traz felicidade para os amantes.

As cores para os Ciganos

O que as cores provocam 



O conhecimento da importância das cores pode ser de grande utilidade para quem quiser utilizar as suas Pedras de Cura de maneira correta, a Cromoterapia, que busca a cura através das cores e o uso de roupas coloridas, expressando o nosso estado emocional e saúde física. 

  • Amarelo: 

Efeitos dos minerais amarelos: 
Animação – alegria de viver – alegre – cheio de esperança – ativo – aberto. 
Geral:  Cor da criatividade, da inteligência e da razão. Com o amarelo, tudo é fácil, leve, alegre, ágil, aconchegante e levemente provocante. Esta cor irradia calor uniforme e transmite sensação de tranqüilidade e alegria de viver, facilitando a aproximação de pessoas desconhecidas. Ajuda-nos a superar inibições e medos. 

  • Azul-Claro: 

Efeitos dos minerais azul-claro: 
Sentimento de liberdade sem limites – iniciativa. 
Geral:  Inspira desejo de variedade e aventura, fomenta a vontade de liberdade e iniciativa, abre o nosso horizonte e une a nossa alma ao infinito do céu. 

  • Azul-Escuro: 

Efeitos dos minerais azul-escuro: 
Sentimento de fidelidade – confiança – calma – tranqüilidade – organização. 
Geral:  Cor do espírito, da maturidade e confiabilidade, autoridade, calma e paz, atua relaxando, acalmando e hipnotizando. Esta cor tem vibrações tranquilas e nos inspira respeito. 

  • Branco: 

Efeitos dos minerais brancos: 
Sentimento de pureza – pura – clara – refrescante – futurista, espiritualidade. 
Geral:  Dá-nos a sensação de pureza, limpeza e confiança em nossas aptidões. Também protege de decisões precipitadas. Induz à concentração e ao relaxamento. 

  • Laranja: 

Efeitos dos minerais laranja: 
Calmante e equilíbrio – cheio de vida – alegre – entusiasmado -sociável aberto. 
Geral:  É a cor do sucesso, aquece, suaviza, fortalece e alegra. Laranja é saudável sob todos os aspectos e um cosmético que mantém o brilho da pele. Ao mesmo tempo. a cor propicia equilíbrio e tranqüilidade. 

  • Marrom: 

Efeitos dos minerais marrons: 
Transmite clareza – afável – sociável – prático. 
Geral:  É a cor do relaxamento e traz clareza em situações difíceis, sociável, prático. 

  • Preto: 

Efeitos dos minerais pretos: 
Minerais pretos absorvem todas as luzes e são apropriados para absorver energias excedentes do corpo, bloqueios de energia. dores, pára-raio de influxos negativos, relaxante. 
Geral:  Misterioso – solene, sofisticado – forte – dramático. Significa elegância, superioridade, autoconfiança. Ajuda na concentração e procura por novos caminhos, e a solucionar tarefas difíceis. Protege a aura com uma sombra que filtra qualidades negativas. 

  • Rosa: 
Efeitos dos minerais rosas: 
Transmite ternura – suave – acessível – não assustador. 
Geral:  Requer meiguice e sentimentos ternos, torna a alma e o corpo receptivos para o lado bonito da vida. 
 
  • Vermelho: 
Efeitos dos minerais vermelhos: 
Amor – paixão – temperamento – otimista – consciente de si – excitante. 
Geral:  Cor do movimento, da claridade, energia, coragem, do fogo, da excitação e paixão, mas também da guerra, destruição, agressão e do inferno. O vermelho aumenta o desejo pela atividade, o temperamento e dá energia. Confere resistência e determinação. 
 
  • Verde: 
Efeitos dos minerais verdes: 
Consciente de si – esperança – harmonioso – neutralizante – superior – confiável. 
Geral:  Cor da vida, do crescimento, da compensação e harmonia. A ação do verde acalma, relaxa, tranquiliza e regenera. Produz sensação de frescor e ajuda a relaxar e a se acalmar após situações de estresse. 
 
  • Violeta: 
Efeitos dos minerais violetas: 
Propriedades limpantes e libertadoras, aumenta o funcionamento do cérebro, misticismo e 
espiritualidade – cheio de imaginação – sensível – intuitivo – criativo – abnegado. 
Geral:  Cor do poder e do distanciamento, atua hipnoticamente, amortece e provoca a sensação de leveza corporal.  Estimula a mente, aguça os sentidos para a percepção da beleza e fortalece a compreensão, deixando a mente divagar em direção a outras distâncias e dimensões desconhecidas. 
 

Previous Older Entries Next Newer Entries

Orixás e entidades da Umbanda e do Candomblé.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Freshly Pressed: Editors' Picks

Just another Wordpress.com weblog

real ultimate waffe (.net)

FACT: mdawaffes are mammals

Umbanda de Caboclos, Boiadeiros, Pretos Velhos, Marinheiros e todo o seu mistério

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Ciganos, suas origens e seus mistérios.

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Mestre Zé Pilintra

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Rainha Maria Padilha, Exús e Pombo Giras

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Lendas, Mistérios e Curiosidades da Religião Afro

O conhecimento da religião dos Orixás, mostrando lendas, curiosidades e mistérios da nossa religião.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 338 outros seguidores

%d bloggers like this: